Conto Erótico: Me descobri Bissexual.

Olá minhas gostosas, hoje eu preparei algo diferente pra vocês, fiz um conto lésbico, eu espero que vocês gostem.

Bom eu sou otima pra escrever contos eroticos, só não curto mulheres, mas já a Mila, isso é com ela mesma, ela leu o meu conto e adorou e eu espero de coração que vocês também gostem!

Isso é um conto lésbico e erótico! Então não é aconselhável para menores de 16 anos.

Conto Erótico: Me Descobri Bissexual.

Me chamo Bruna, tenho 18 anos e me descobri bissexual, eu estava no último ano do meu curso de espanhol, eu sempre fui daquelas que não se apegava a ninguém, eu tinha um ficante do meu curso, eu já estava querendo colocar um ponto final, porque vi que estava começando a me apegar a ele. Então decide conversar com ele depois da aula, só que eu fui surpreendida com uma aluna nova e todo mundo ficou parado para recebê-la a professora falou o nome dela, ela se chama Júlia, tem 19 anos e pediu que eu a mostrasse o curso para ela, acabamos fazendo amizade.
A Júlia é diferente ela muito bonita, ela tinha o cabelo curto com as pontas azuis.
Tinha uma cara de safada e eu confesso que me atrai por ela, eu nunca tinha nem pensado em ficar com uma mulher, mas ela mexeu comigo, conversamos o curso inteiro temos muitas coisas em comum.
Então trocamos WhatsApp, eu fui para casa e já tinha uma mensagem dela confesso que eu fiquei muito feliz com aquilo. A Júlia me contou que tinha um namorado, então eu esqueci aquela vontade insana de beijar aquela boca vermelha e carnuda dela.
Eu só ia por curso duas vezes por semana, que eram na segunda feira e na quinta, no começo a gente só se via nesses dias, mas começamos a nos ver fora dos dias do curso, eu comecei a me apegar com ela, como ela era diferente e descolada.
Ela terminou o namoro e saímos juntas foi o melhor role da minha vida, a gente foi dormir na minha casa, eu tomei um banho e me troquei na frente dela mesmo, sempre fiz isso na frente das minhas amigas e eu podia jurar que ela tinha mordido o lábio ao me ver nua, eu fingi que não tinha percebido me deitei ao lado dela e dormimos.
O tempo passou e ficamos cada vez mais próximas, o tal menino do começo da história, a conclusão foi, que eu não falei nada pra ele e ficamos de nos ver, mas como eu estava muito ocupada com a Júlia e as novidades não dava pra ver ele.
Em uma quinta feira, eu estava esperando a Júlia quando ele chegou, a gente ficou ali na frente do portão do curso, demos uns beijinhos, quando eu senti alguém puxando o meu braço e me chamando pra entrar, era a Júlia então eu me despedi e seguir ela, ela fez muitas perguntas sobre o menino, mas paramos de conversar quando a professora começou a aula, a Júlia pegou a cadeira e sentou ao meu lado, a aula acabou mas ela disse que queria falar comigo e eu disse que tudo bem só iria guardar as minha coisas.
Ela se levantou e fechou a porta e eu perguntei: _”O que é de tão importante assim pra você fechar a porta?” Ela veio em minha direção e disse senta na mesa.
Ela me olhava com uma cara de desejo que eu fiquei sem reação só sentei na mesa, ela começou a falar: “_Você é tão cheirosa Bruna, eu não gostei de ver aquele garoto te beijando, mas eu vou te mostrar o que é um beijo de verdade.”
Ela agarrou a minha nuca e me beijou, era um beijo quente e com muito desejo, ela parou o beijo e me olhou, ela tirou a minha blusa e foi descendo com seus lábios ate os meus peitos, ela beijo com tanto desejo, eu nunca tinha sentindo tanto prazer na minha vida, ela foi descendo a mão em direção a minha calcinha, eu estava em delírios.
Mas somos surpreendidas com alguém batendo na porta e falando:
– BRUNA?


Eu sei, ficaram curiosoas com o que vai acontecer nessa cena. Mas só irão saber na próxima semana, na continuação do conto. Eu espero de coração que tenham gostado!

Um beijinho da sua Jujuba e até o próximo conto!

Cyberbullying: Um assunto que precisa ser discutido.

Olá meninas, hoje o assunto é super sério.

Ultimamente, eu ando muito preocupada com as coisas que eu tenho visto na internet.

A forma como estão utilizando as redes sociais para ofender outras pessoas. Principalmente o Facebook, de um tempo pra cá, na minha cidade, aumentou o número de grupos no Facebook, acredito que 90% da minha cidade estão nesses grupos.

O problema, não é fazer parte de grupos e sim como esses grupos são tóxicos.

As coisas que você mais vê é:

  • Machismo
  • Homofobia
  • Gordofobia
  • Racismo
  • Comentários maldosos em quase todas às fotos postadas nos grupos.

Eu poderia ficar aqui horas e horas citando brincadeiras de mal gosto que acontece nesses grupos ou em todas as redes sociais.

Antes de me aprofundar mais, não estou generalizando todos os grupos do Facebook, mas é claro que tem grupos bons e que faz bem as pessoas que utilizam esses grupos.

Continuando, eu acredito que os comentários nas fotos são as piores coisas que eu já vi. São comentários, fúteis, grosseiros, inúteis, negativos, maldosos e por aí vai.

As vezes, muitas pessoas que pública nesses grupos é de forma inocente. Procurando novos amigos e acaba se tornando motivo de piadas, porque sempre tem comentário ruins, raramente eu vejo comentários positivos.

Eu fico super incomodada com isso, me dá uma agonia. Eu não sei vocês, mas eu sou aquela que pensa da seguinte forma:

Que todos devem ser respeitados, seja qual for sua opinião, sua raça, seu gênero, suas crenças… Todos, sem exceção, tem o direito de expressar suas opiniões, defender suas crenças, mas sempre respeitando o próximo, para não causar feridas.

Isso causa um desastre enorme, as pessoas não fazem ideia o quanto certas palavras ditas na internet podem causa consequências graves.

Eu sempre falo, que cada ação nossa gera uma conseqüência, seja no passado, no presente ou no futuro. Cada ação, cada escolha tomada, ela vai ter uma conseqüência, ela vai mudar o destino, vai atingir você e tudo a sua volta, porque não sabemos o dia de amanhã, não sabemos nada do futuro, tudo que acontece na nossa vida é incerto.

Por isso eu peço a vocês, parem com comentários maldosos na internet, isso é pra todos, seja mulher ou homem, não importa qual seja sua idade, apenas parem de retribuir esse ódio, isso pode não afetar você agora, mas afetará depois.

Pare e raciocine, se coloque no lugar de dessa pessoa, você gostaria desses tipos de comentários ruins em suas postagens? Eu digo qualquer tipo de comentários, como por exemplo: criticar suas forma de se vestir, sua forma de falar, sua forma de andar, apontar os seus defeitos, creio que você não vai gostar não é?

Isso não vai te levar a lugar nenhum, só irá conseguir mais ódio, para si mesmo e para o mundo ao seu redor.

Comece a praticar amor, comentários positivos, tire o dia pra levantar auto-estima de alguém, agradeça por tudo que conquistou e pense que todo mundo tem o seu lugar no mundo, não importa de onde veio, todos merecem ser felizes e viver em paz.

Eu espero que esse texto, fique no coração de vocês, pense mais antes de fazer comentários na internet, pra você pode ser engraçado, mas para o outro não. Pense no próximo, sempre pense no próximo!

A imagem destacada nessa publicação, tem direitos autorais.

A ilustração é da artista: Kristina Webb.

Um beijão da sua Mila e até a próxima!