LGBT: Lista de Filmes LGBT para assistir na Netflix.

Olá, estou tão feliz que esse dia chegou, que vamos homenagear nosso vale, que é cheio de pessoas de culturas diferentes, raças diferentes, de todas as idades, todos juntos para a apoiar essa causa de amor, de igualdade, lutar contra esse preconceito, que ainda existe em pleno século 21!

Eu preparei uma lista de filmes e séries para vocês, acredito que a maioria dos filmes que vão ser citados, são da Netflix ou estão no catálogo da Netflix. Eu espero que gostem dessa listinha de quatro filmes.

  • Amor Por Direito

Olha, se prepare para chorar, eu chorei muito, aliás eu assisti ele faz uns três dias, ainda estou me recuperando.

A história do filme acontece New Jersey, onde Laurel Hester uma policial, que é interpretada pela nossa maravilhosa Jullianne Moore e a mecânica Stacie Andree, é interpretada pela Ellen Page, as duas estão em um relacionamento sério. Mas nem tudo são flores, a vida delas muda de cabeça para baixo, quando Laurel é diagnosticada com uma doença terminal. Laurel não deixa de pensar na Stacie, com todo amor, começa a correr atrás dos benefícios da sua pensão da polícia, pra deixar para a Stacie, mas as autoridades se recusa a reconhecer a relação amorosa das duas.

Esse filme não é recomendado para menores de 12 anos.

amor

  • Hoje eu quero voltar sozinho

Faz muito que eu assisti esse filme, mas é inesquecível! É um ótimo longa nacional, que foi muito premiado ao redor do mundo, principalmente no. Festival de Berlim.

Esse filme conta a história de Leonardo que é interpretado pelo Guilherme Lobo, ele faz um garoto cego, ele tenta lidar com a sua mãe super protetora ao mesmo tempo ele busca a independência dele. Gabriel que é interpretado pelo Fábio Audi, ele chega na cidade e começa a criar uma amizade com Leonardo e faz ele se descobrir mais sobre si mesmo.

Não recomendado para menores de 12 anos.

Hojeeuquerovoltarsozinho4-miniatura-2048x1080-152708.jpg

  • Flores Raras

Eu assisti esse filme uma vez, eu achei o máximo, principalmente por ser brasileiro e colocar casais homossexuais na frente do elenco.

A história acontece em 1951, Nova York. Elizabeth Bishop é interpretada pela Miranda Otto, ela faz o papel de uma poetista cheia de inseguranças e muito tímida, que só pensar em narrar seus versos para seu amigo Roberto Lowell que ele interpretado pelo Treat Williams. Elizabeth começa a procurar algo para se motivar, então ela resolve se mudar para o Rio de Janeiro e passa uns dias na casa de Mary, que é interpretada pela Tracy Middendorf , ela faz uma colega de faculdade, que vive junto com uma arquiteta chamada Lota Macedo Soares, que é interpretada pela ilustre Glória Pires. No início da trama, Lota e Elizabeth não se dão bem, mas ao decorrer da história elas começam a se interessar uma pela outra. Mary acompanha todo o romance das duas, já que ela e aceita a proposta de Lota para que adotem a sua filha.

Não recomendado para menores de 12 anos.

flores-raras1

  • Azul é a Cor mais Quente

Quem não ama esse filme, impossível ser do movimento e não ter assistido esse filme ou saber da existência dele!

Adèle que tem o mesmo nome da Atriz Adèle Exarchopoulos, nome complicado minha amiga, mas ela é maravilhosa! Adèle é uma garota de 15 anos que conhece Ema que é interpretada pela Léa Seydoux, é uma garota de cabelos azuis, que ela acaba sendo sua primeira paixão por uma outra mulher.
Ela acaba não podendo revelar seus desejos,ela acaba se entregando a esse amor secreto, enquanto enfrenta uma guerra com a familia dela e com amoral vigente deles.

Não recomendado para menores de 18 anos.

azul

  • Sense8 | Série

Quem não ama essa série, a Netflix arrasou com essa história.
Ela foi criada e dirigida por duas Irmãs transexuais ás Wachowski.
A História tem oito pessoas diferentes nacionalidades, crenças, etnias, orientações sexuais e identidade de gêneros e mentes conectadas e aos poucos eles vão se aproximando, entrando em harmonia, mas essa ligação se torna um risco quando descobre que estão sendo caçados.

Não recomendado para menores de 18 anos.

sense

Eu esperem que gostem desses filmes, que assista com seu parceiro ou parceira!
Aproveitem esse domingo maravilhoso, essa parada gay que vai ser linda!

O amor é livre, não tem gênero, não tem etnias, não tem raça é só amor, você é livre pra amar quem quiser!

Um Beijão da Mila e até a próxima lista de filmes!

LGBT: Tag: Perguntas que o vale LGBT, está cansado de ouvir!

Hoje o post vai ser um “pouquinho” diferente, não será uma história da Bynd como estão acostumadas(os), mas vou levantar algumas questões, para que esteja consciente, dos preconceitos enraizados na nossa sociedade.

Chega a ser inacreditavel que em pleno século XXI vemos tanta falta de empatia… Já se foi estudada a homossexualidade por meios desumanos, tanto nos campos de extermínio Alemães, quanto em manicomios (que se diziam especializados), temos diversos casos durante a história da humanidade em relação a isso, poderia citar varios aqui, mas o que quero retratar não é isso. Por que já foi mais do que comprovado, a orientação sexual não é doença.

LGBTs mortos simplismente por serem eles mesmos, dia após dia, anos após anos, desumanizando gays, lesbicas, bisessuais, transgeneros… Então vamos mudar isso, meses atrás voltou a tona uma discussão sobre ”cura gay” então lhe pergunto:

Já parou pra pensar se é possível uma cura hetero? Kkkkk chega a ser engrasado né? Quando quiser fazer alguma pergunta ”desnecessaria” vamos inverter o sexo ou a orientação sexual (pense esses questionamentos como um casal hetero e veja se faz sentido) por exemplo:

“Nossa! vocês namoram? Quem é o homem da relação?”

“Você namora com um homem e uma mulher ao mesmo tempo?”

“Se vocês se casarem, quem vai entrar de branco?”

“Você só é bi por que agora é modinha” (será que ser hetero é modinha também?)

“Ué, você ta namorando com uma pessoa e trai ela com outra mulher?”

“Você é casada a nove anos, tem até filhos, tem certeza que não gosta de homem?”

“Então você já pegou o mesmo número de homem e mulher?”

Você é lésbica? Então prova!” (como se precisasse provar que é hetero)

“Seu marido não liga dele viver na sua casa nao ??? Ele dorme com vocês ??” (como se tiver amigos gays, vai te tornar um)

“Não sou gay, nada contra, tenho até amigos que são”

“Não deviam ter tantos gays nas novelas, isso é influência para as crianças”

“Tá, mas você gosta mais de homem ou de mulher?!”

“Tu nem cresceu ainda, como sabe da sua “”””opção”””” sexual”

“Viiish!! virou viado”

“Você só não quer assumir que é Gay, né?”

“Tem certeza que não é hetero? Nem tá vestido de mulher”

“Você só falou que é bi por que é mais fácil de sair do armário, né?”

“Você só tá indeciso né?”

“E aquela? você fodia?” (como se alguem fosse ninfomaníaca por ser bissexual, o termo ninfo é usado para pessoas que são “viciadas” em sexo)

(Ah, e tem o clássico convite pra um ménage)

Quando você deixou de ser homem?”

“Ter filho gay é falta de porrada” (Jair Bolsonaro, deputado federal)

“Sexo sem penetração não existe”

“Você já precisou esconder sua sexualidade por medo?” ( sofreu bulling ou agressão por ser hetero?)

“Foi difícil para você, hétero, passar pelas perseguições na escola, e esconder dos pais a sua sexualidade?”

“Tu é bi por que nunca fez sexo com um homem de verdade”

“Vocês usam pênis se borracha né?(como vocês fazem sexo?)

“Ah, mas essa história de gênero não-binário é invenção de moda”

“‘Agênere’? Para, que isso é gênero de Tumblr”

“Nossa, então meu gênero é palmito e eu sou pizzassexual”;

“Pansexual? Então você vai dar pra qualquer um, né?” (como se tivesse meus critérios para gostar de alguém)

“Pansexual é quem gosta de tudo, né?, tipo cachorro ou árvore…”

“Mas esse é o seu nome ou não é? Manda uma foto do seu RG então, ô p*##@” (quando pedem para chamar pelo nome social)

“Mas me conta, quem é que fica por baixo na cama?”

“Então como você “se descobriu” mulher?”

“Você nem se quer parece uma mulher”

“Cê nasceu homem, com pinto, mesmo se operar não vai virar mulher”

“Se fosse Deus não vai te abençoar”

“Vai pro inferno”

“O que seus pais acham disso? Eles deixam você sair toda montadinha?”

“Se você é trans deixa eu ver/pegar no seu peito?”

“Curte um programinha no sigilo?”
“É uma fase”

“Ela quer chamar a atenção”

“Ver dois gays se beijando torna crianças gays” (crescer vendo héteros se beijando te torna um? E aí?)

“Porque NERDS aceitam até amar vilões, mas não aceitam um protagonista LGBT?”

“Você escolheu sofrer preconceito!”

“Por quê?”

AMOR NÃO É DOENÇA, É CURA!
TRATE O SEU PRECONCEITO!

Essas frases (de ironia) foram retiradas de sites, grupos do facebook e experiencias REAIS, links e creditos nas frases.

Espero que tenha gostado da representatividade, deixe seu comentário acrescentando mais ao nosso diálogo, até a próxima migxs ❤ Tenho Instagram, Canal no You Tube e Página no Facebook:

Instagram: @byanka.g.nunes

Facebook: Byanka.G.Nunes

YouTube: Byanka.G.Nunes

Email: byanka.g.nunes@gmail.com

LGBT: Tags: Historias das Leitoras!

img_20170706_132431_018320682795.jpg

OOOOI! HOJE É DIA DE PARADA GAY!

VOCÊ É LIVRE PRA AMAR QUEM VOCÊ QUISER! HOJE É DIA DE HOMENAGEAR

Hoje é o domingo LGBT, em homenagem a Parada Gay.

Uma leitora mandou sua história de vida, desde do dia que percebeu que era bissexual. Não vamos revelar seu nome, pra preservar sua identidade.

Então, acompanhe a história dela.

Minha bissexualidade foi descoberta em meados de 2015. Eu era uma adolescente repleta de hormônios, e decidi ir à fundo no ponto de: Porque garotas são tão tentadoras? E foi nesse ponto que eu me vi beijando bocas de todas as cores e sabores. O ponto em que eu amei garotas, desde os seios ao sorriso, o olhar.

Certo, mas em Agosto de 2016, conheci Natália… oh, Natália. Ela era uma morena sensacional, nada desproporcional, um sorriso encantador, e era irmã do melhor amigo do meu irmão, um ótimo motivo para me aproximar dela, não acha? E foi o que fiz, lançando meus métodos de conquista sempre que íamos levar e buscar nossos irmãos na escola.

Em uma semana, estava em sua casa.
Em duas, na sua cama.

O problema? Natália tinha um namorado. Então era batata: nós ficávamos, ela se sentia “mal“, e então repetiamos a dose, em um ciclo vicioso. Até o dia em que ele a gritou no meio da transa.
Eu quase tive um ataque, me vestindo de forma automática, e descendo acompanhada por ela em passos rápidos, vendo o garoto parado no portão enquanto eu sorria um tanto cara de pau.

Meu estado? Cabelo bagunçado, calças largas, uma camisa masculina da Adidas e uma boca extremamente vermelha. Sem contar que eu estava suando em bicas enquanto orava pra qualquer santo que pudesse me tirar dessa. E o garoto? Ele só me encarava com um ódio mortal.

Mas, para sua infelicidade, eu sai viva dessa. Já que o garoto apenas me empurrou e entrou, furioso, enquanto eu metia o pé para a casa da minha avó.

Resultado: Eu jurei de pé junto que nunca mais iria ficar com garota comprometida… e que nunca mais veria a Natália.

Conto da Leitora: Editado pela Jujuba, Mila e Bynd.

Desenho destacado: Byanka G. Nunes

Meus amores, eu espero que tenham gostado da história dessa leitora.

Um ótimo domingo e uma ótima parada gay! Ame muito, viva a vida, seja feliz, seja você!

Um beijo e um cheiro da Mila ❤️

Um beijinho da Jujuba ❤️

Um beijão da Bynd ❤️