FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark (Part.2)

Olá pessoal, tudo bem? Hoje o post vai ser a continuação da FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark. (a primeira parte esta aqui no blog, quem quiser é só clicar no link). Obrigada a todos que curtiram a Fanfic, comentaram no meu post e no post de todas as meninas.

FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark parte 2.

Coloco a mão na maçaneta fria, e a giro lentamente. Empurro a porta sem fazer qualquer barulho mostrando a minha presença.

Encontro várias pessoas sentadas em volta de uma mesa, discutindo. Rapidamente reconheço Tony sentado de frente para um homem loiro, com um corte de cabelo militar. Uma mulher ruiva, com um macacão preto, me chama atenção por sua beleza. Um homem de cabelos pretos está sentado ao lado dela. Ao lado de Tony, um homem calmo, com um rosto suave observa toda a situação.

— Uma hora ou outra ela vai descobrir. Não acha melhor nós contarmos a ela… — o homem loiro se pronuncia. Parece que ele está tentando manter a calma.

— Eu sei o que é melhor para a minha filha. Ela não vai saber nada sobre Broski ou algo relacionado.

O que eu tenho a ver com essa situação? E quem é Broski?

— Se ela é realmente uma Stark vai descobrir rapidamente, não acha? — a ruiva sussurra, com um forte sotaque na fala.

— Não se vocês não contarem. E vocês não vão. — o homem ao lado de Tony solta um longo suspiro, provavelmente cansado dessa pequena discussão.

— Isso não vai dar certo. — ele murmura, se vira um pouco para a porta e finalmente me nota.

Ele sorri gentilmente e eu sem saber o que devo fazer, apenas retribuo o sorriso. A mulher ruiva segue o olhar dele, e me olha, e o mesmo faz o homem ao lado dela.

— Eu não quero que ela se envolva com nada da S.H.I.E.L.D ou dos Vingadores. Cloe apenas não me contou sobre ela porquê queria que a garota tivesse uma vida normal. — como ele sabe disso? Cloe também mandou uma carta a ele ou algo do tipo?

— Você está insinuando que nós não somos normais? — a pergunta do homem ao lado da mulher ruiva deixa o ar mais descontraído.

— Escuta Tony, de uma forma ou de outra Anne vai se envolver com todos os nossos problemas. Você sabe onde nós estamos? — o homem louro ignora a fala do outro e parece persistente a vencer a discussão.

Cansei de ver eles falarem sobre mim como se pudessem decidir tudo sobre mim.

— É Emma.

Sem perceber, prendo a respiração por não saber qual será a reação deles. Tony e o homem loiro me olham, e rapidamente a feição do loiro se suaviza.

Nick passa por mim, e se coloca ao lado da mesa observando a todos nós. Fixo o olhar em Tony sem saber o que devo falar ou fazer, e parece que ele tem a mesma dúvida. Um silêncio desconfortante reina na sala, todos pareciam estar esperando algo, assim como eu.

— Emma, — Nick finalmente quebra o silêncio, me deixando um tanto decepcionada. Não era para ter aquela típica cena de reencontro dos filmes? — deixe-me fazer as apresentações.
” Esses são Steve Rogers, Bruce Banner, Natasha Romanoff, Clint Barton e Tony Stark.”

Não sabia porquê ele havia apresentado Tony a mim, mas isso tornava a situação mais estranha. O que eu estava esperando? Um correndo para o outro com grandes sorrisos e finalmente um abraço? Isso é a vida real, não uma propaganda de margarina.

Anthony se levanta mas permanece ao lado da cadeira. Parece que ele está colado no lugar, igual a mim.

O observo por inteiro involuntariamente, procurando resquícios que eu seja parecido com ele. Tony usa uma blusa cinza de uma banda de rock famosa, e uma calça jeans, exatamente igual a mim, exceto que a minha camisa era de outra banda. Meus olhos são grandes como o dele, e o cabelo da mesma tonalidade.

Ele anda em minha direção com as mãos nos bolsos e um grande sorriso no rosto. Até agora não vi o sorriso arrogante que a minha mãe disse.

— Você é linda como a sua mãe. — finalmente diz, parando a minha frente.

Aperto a alça da mala sem saber o que devo falar. Obrigada? Eu sei disso?

— Você se lembra dela? — sussurro.

Parecia impossível que Anthony se lembrasse de Cloe depois de 16 anos, e bem, mesmo não gostando da ideia, eu não passei de um caso de uma noite.

Alguém solta uma risada nasalada. Teria feito o mesmo se a situação não fosse tão delicada.

— Claro que sim. — o homem responde simplista, mas a sua expressão está um pouco mais fechada como se eu o tivesse insultado.

Sei da fama de Anthony, o quanto ele é mulherengo e das mulheres famosas que ele já teve um caso. Claro que eu não lembro de todas, e é de se surpreender que o próprio Anthony se lembre de todas.

De repente, tão repentino que me tira a ar, sinto os braços de Anthony em volta de mim. Meu rosto está enterrado em seu largo peito, encostando em algo duro.

Minha mente da voltas e mais voltas tentando processar toda a situação, mas o meu corpo é mais rápido. Solto a alça da mala e circulo os meus braços finos e magricelos em volta da cintura de Tony.

Sinto vontade de chorar, de dar risada, de gritar e ficar em silêncio.

Respiro fundo, o perfume de Tony toma conta das minhas narinas. Amadeirado, forte, másculo, assim como Anthony. Me sinto bem no abraço dele, esqueço momentaneamente dos pequenos problemas que eu tenho e da saudade de Cloe e Ricardo.

— Não era bem isso o que eu estava planejando para a sua chegada. — Tony murmura, se afastando de mim.

— Foi bem melhor do que você aparecer de armadura e fogos de artifício. — Bruce Banner diz finalmente, descontraindo a situação.

Abro um pequeno sorriso a ele, agradecendo por me deixar mais à vontade.

— Ou dando uma festa surpresa na Torre Stark. — o homem loiro, Steve Rogers se levanta e para ao lado de Nick Fury.

O homem negro não diz nada, apenas observa toda a cena como um telespectador.

— Era apenas uma festa pequena. — Tony se defende, revirando os olhos.

— Nada que vem de você é pequeno ou simples. — a ruiva se pronuncia, cutucando Clint com o cotovelo.

— Devo concordar com isso. — Natasha abre um sorriso discreto quando concordo com ela.

Eles parecem a vontade, e mesmo que eu ainda esteja parada ao lado da porta, ainda que não sei o que fazer, e ainda que a discussão que eles tiveram permaneça fresca na minha memória, me sinto a vontade com eles.

— Aliás, sejam bem-vinda a família Emma. — Clint chama a minha atenção.

Acredito nas palavras de Clint, acredito essas pessoas sejam uma família, acredito que sou bem-vinda nela, e acredito que vou ficar bem.

Permito sentir esperança.


Mande a sua fanfic, desabafo, poema ou qualquer outra coisa para o nosso e-mail: adolescenciadelua@gmail.com

Espero que tenham gostado do post de hoje, continue de olho no blog.

Com amor, Giovanna.

“O Pincel e a Faca”

Em desenhos eu vou pintar
Luzes
Tons de cinza
Vermelho do meu sangue
Rosa, meu coração
Despedaçado
Vai ficar
Com toda essa melação
De poesia
Não senhor
De dor e lamentação
Escamas, sempre perdidas
Em meio às multidão
Socorro
Vou pedir
Mas Ariel
Eu não sou
Sereias
Não existem
Deslocada, eu sou
Perdida
Vou ficar
Socorro
Não terei
Medo
Tentarei
A morte
Me renderei?

Apaixonada por arte e entusiasta da comunicação, eu sou a Traca.

Imagens tem direitos autorais: @Byanka G Nunes

Até a próxima escrita!

TRACA.