Convivendo com minha ansiedade

A intenção deste post é poder compartilhar com vocês, como é conviver com minha ansiedade, que muitas vezes vem de mãos dadas com a depressão. Semanalmente irei postar sobre este tema, e quero que saibam que o blog estará aberto para podermos discutir sobre o assunto, então conto com a participação de vocês.

Espero que através destes textos, eu possa de alguma forma ajudar pessoas a lidarem com esta doença, que afeta o dia a dia de quem tem que conviver com ela. Se sofrem ou convivem com alguém que passa pelo mesmo, espero que eu possa entrar no coração de cada um e ajude a lidar de alguma forma.

IMG_20180420_122248_802-01-01.jpeg

Bom, descobri que tinha ansiedade no início do meu ensino médio, quando minha vida começou realmente a desmoronar, pois comecei a entender e ter consciência de tudo que aconteceu e vinha acontecendo na minha vida. Como a separação dos meus pais, quando eu tinha quatro anos de idade, que foi o impulso para o transtorno. Desde então, comecei a passar por muitas coisas.

Minha mãe levava diversos homens para casa e eu tinha que conviver com eles e tentar fingir que não me incomodava o fato de passar a tarde sozinha na sala, vendo desenho, enquanto ela transava no quarto ao lado. Meu pai, por sua vez, começou a construir outra família e quase não ia me visitar, chegou a passar 2 anos sem me ver, e achava que uma misera pensão de duzentos reais, que ele pagava quando bem entendia, supria a ausência que ele fazia na minha vida. Minha infância foi resumida em pular de casa em casa, pois todo padrasto que minha mãe arrumava não gostava de mim, então eu era obrigada á morar com minha avó. Estudei em muitas escolas diferentes, justamente por sempre estar pulando de casa em casa, como se eu fosse um objeto reciclável.

Com quatorze anos, minha tia, percebeu que eu precisava ir á um psicólogo, porque ela sabia de tudo que eu passava e tinha certeza que havia algo de errado comigo, e então convenceu minha mãe…

No próximo post, irei continuar a história, então aguenta coração, pois quero que as próximas publicações sirvam como uma “auto-ajuda” para quem precisa.

Desenho autoral – Todos direitos reservados.

Autora: Byanka. G. Nunes

Bjs no coração e até mais.

14 comentários em “Convivendo com minha ansiedade

  1. Nossa que lindo da sua parte compartilhar isso com a gente!
    Eu amei, também sinto ansiedade, eu já sei se é o suficiente pra um diagnóstico, mas eu estou lindo com algo assim

    Curtido por 1 pessoa

  2. Me identifiquei com a sua história de vida, a minha só foi um pouco diferente.
    Meus pais se separaram porque a minha mãe traiu ele, desde então ela me renegou como filha dela, eu vivia jogada entre a casa da minha mãe (que nunca tinha comida, sempre se relacionando com pessoas estranhas), fui morar com meu pai e ele tinha conhecido um mulher se casou com ela, temos uma relação mais ou menos, as coisas em casa são bem complicadas pq eles tiveram uma filha, que é três anos mais nova que eu e brigamos sem parar… Hoje eu trabalho e tenho mais independência e ano que vem entro na faculdade, eu espero que as coisas mudem.

    Curtido por 2 pessoas

  3. Foi bom me abrir com você.
    Poste mais e quem sabe eu consigo colocar pra fora também! Obrigada pela sua publicação!
    Mila e Jujuba parabéns por essa equipe de mulheres, esse blog fica cada vez melhor, me sinto muito bem recebida aqui, independe de quantas veu visito ou comento no blog! Eu amo o Blog de vcs

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s