FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark (Part.7)

Olá pessoal, tudo bem? Eu sei que demoramos pra voltar com a Fanfic, o blog está passando por umas alterações, então só agora que tudo está voltando pro seu devido lugar.

A Giovanna, está passando por uns problemas pessoais, vamos desejar força pra ela melhora e voltar pro blog. Enquanto ela fica ausente, vamos continuar postando a continuação da Fanfic, no caso a Giovanna vai continuar escrevendo e eu vou postando pra você!

Obrigada por todo o carinho, e pelos comentários.

Pra quem ainda não conhece a Fanfic é só acessar os links abaixo!

Part. 1: FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark.
Part. 2: FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark .
Part. 3: FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark.
Part. 4: FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark.
Part. 5: FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark.

Part. 6: FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark.

Eu espero que gostem da continuação de hoje.

Boa leitura!


FANFIC: Vingadores – Filha de Tony Stark (Part.7)

— Olá Stark, — Loki sorri abertamente, como se delicia-se com a raiva de Anthony. — quanto tempo, não é mesmo?

Me movo para o lado o que faz barulho chamando a atenção do cara com chifres.

— E quem é essa? — Loki se aproxima de mim, mas é parado por Thor. Mal percebi a sua presença, mas graças a Deus que ele está aqui. — Uma nova Vingadora?

Ele me olha de cima a baixo, Instantaneamente sinto repulsa dele.

— É, mas não se compara a nossa querida Natasha Romanoff.

Loki olha para a Viúva, e sorri. Espero que ele morra com o próprio veneno.

— Para o que ser tão hostil? Vim em paz, como podem ver. — Loki levanta as mãos, fazendo a algema faiscar. — Oh, vamos lá, não vão dizer nem um “oi” para um velho amigo? Onde está a educação?

Olho para trás encontrando os Vingadores em posição de alerta, prontos a atacar se fosse preciso. Anthony é o que mais parece estar afetado, pelo simples fato sobre eu estar na linha de fogo.

Volto a olhar para frente encontrando Loki na minha frente, o que me assusta. Como eu não escutei ele se aproximar?

O homem estende ambas as mãos na minha direção, já que estão presas, e levanta uma sobrancelha sorrindo mais.

— Sou Loki, o deus da trapaça ao seu dispor. — seguro a sua mão direita, e o homem leva aos lábios beijando suavemente as costas da minha mão. Tiro bruscamente a mão da dele, e cruzo os braços. — Ora minha querida, não precisa sentir repulsa de mim, eu sou…

E então algo inesperado acontece.

Sou empurrada para trás por Tony, que parece uma máquina soltando fumaça e soca o queixo de Loki, forte o suficiente para derrubar um homem, mas apenas faz Loki virar a cabeça.

Anthony volta para onde estava mas me puxa para trás dele, me tirando do campo de visão de Loki. Meus um metro e sessenta e oito centímetros são fácilmente escondidos.

— Opa, foi sem querer! — Loki ri, mas uma risada tão macabra que me faz agradecer por Loki não poder me ver.

Tudo nele exala perigo, faz com que os meus sentidos berrem para me afastar dele.

— Sabe Stark, Emma se parece com você. — alguns instantes depois que Loki diz isso um silêncio tenso se forma, e de repente Tony começa a tremer, e por fim explode como uma bomba.

Tony, já furioso, se joga em cima de Loki levando os dois ao chão. Stark soca repetidamente o rosto de Loki dizendo coisas incompreensíveis, mas parece grunhidos de um animal com raiva. Quando alguém tira Tony de cima de Loki, vejo que o deus esta com um pequeno sorriso mas com o rosto cortado em algumas partes.

Céus, onde está Nick Fury quando precisamos?

Olho para Thor pedindo ajuda com os olhos, mas o deus apenas olha para Loki como se quisesse dizer que ele merece isso. Realmente ele merece.

— Cala a boca se ainda quiser ter dentes. — Anthony volta a falar com aquela calma que me assusta e se liberta dos braços que o segura. — E não venha com esses truques de mágico de festinha infantil pra cima de mim, sombra de Thor.

E esse simples comentário parece ter deixado o deus da trapaça realmente irritado.

Agora sem Tony como escudo, Loki olha em meus olhos, penetrando a minha mente, literalmente.

Sinto o deus andando pela minha mente, vendo cada lembrança minha, descobrindo os meus segredos.

— O-o que você está fazendo? — a minha voz sai um sussurro, quando um dor de cabeça terrível vem.

Fecho os olhos quando sinto mãos em meus braços. É assustador sentir Loki na minha cabeça mas não poder fazer nada para tirá-lo.

Me encolho nos braços de quem quer que seja quando Loki entra em uma lembrança que eu preferiria não ter. Os últimos minutos da minha mãe viva, vomitando por causa dos remédios e delirando por causa da dor.

Deixo algumas lágrimas escaparem contra a minha vontade. A última coisa que eu gostaria é mostrar fraqueza na frente de Loki.

Volto a abrir os olhos quando sinto algo dentro da minha cabeça mudar, algo que foi plantado contra a minha vontade, mas quanto mais eu tento descobrir o que é mais parece que essa coisa foge de mim.

Volto a abrir os olhos descobrindo que quem me segura é Clint.

— Calma Stark, não vou fazer nada. — Loki diz para Tony, mas com os olhos pregados em mim.

Algo se agita em meu estômago, e o meu coração bate descompassado, mas mantenho a compostura de nojo contra Loki ignorando a reação do meu corpo.

— Você está bem? — Clint tira as mãos dos meus braços levando a cintura.

Observo que ele tem uma arma guardada ali.

— Sim. — respondo o homem, me posicionando atrás de Bruce, indo o mais longe de Loki.

Enxugo as lágrimas que caíram. Loki sorri para mim de uma forma traiçoeira. Me sinto a presa.

— Emma, sou inofensivo. — quase caio no chão, mas de susto arrancando uma risada rouca de Loki.

Ele leu os meus pensamentos? Como?

— Thor, faça-me um favor e leve esse imbecil daqui. — nunca vi Natasha usar um tom tão hostil com alguém.

Thor, ouvindo o pedido de Nat, segura Loki pela nuca e atravessa o corredor, passando bem perto de mim. Antes de Loki passar, o deus me olha de lado como se dividi-se um segredo comigo. Um segredo sujo e pervertido.

Quando os dois deuses saem do nosso campo de visão, os heróis começam uma dura discussão, mas Tony não participa, ao invés disso se aproxima de mim.

Seus olhos castanhos poderiam queimar alguém vivo se tivesse esse poder.

— Não se aproxime dele. — Tony ordena, com aquele olhar de “não brinque comigo.

— Não precisa pedir de novo.


Eu espero que a sua leitura tenha sido ótima, aproveita e faz uma maratona da Fanfic. Semana quem vem têm mais!

Beijão da Mila. Até o próximo post, gratidão!

A importância de ser você mesmo (a).

Eu sempre começo os meus posts falando: “Oi meninas”, “Oi meninas e meninos”, “Olá”… Eu também deveria começar explicando o que anda acontecendo com o blog, já que ela “anda parado e funcionando.”
Só que dessa vez, eu nem sei como começar a escrever, eu não sei como dizer isso pra vocês, eu não sei o que escrever, eu não sei quais conteúdos produzir pro blog, pro canal, pro meu livro.
Eu me perdi no meio disso tudo, me perdi no meio de mil ideias, mil sonhos, me perdi no meio das minhas amizades, me perdi no meu relacionamentos com as pessoas, especialmente meu namoro e família, pra vocês terem a noção eu me perdi até nas minhas crenças, princípios, enfim, eu me perdi como pessoa, eu perdi eu mesma, acho que é a pior coisa do mundo, principalmente quando você já se perdeu mais de a vez, já se sentiram assim?
Eu me perdi em tudo, parece que eu estou andando dentro de um labirinto e não consigo encontrar a saída. Foi quando eu percebi, que eu precisava tirar um tempo pra mim.
Sabe quando você pensa: “Eu sou foda, vou ir atrás dos meus sonhos, eu vou conseguir realizar tudo.” Se não pensou assim, já pensou em algo parecido.
Eu sempre pensei isso a vida toda, o tempo todo…, Mas na hora de colocar em prática em ir atrás do que eu quero ou queria…
Acabei me perdendo no meio do caminho, eu queria realizar tantas coisas, coloquei uma positividade imensa em mim, eu arrisco até dizer que esse ano foi o ano que eu mais fui positiva na minha vida, só que eu acabei esquecendo de mim mesma, de qual era os meus objetivos, porque eu sonhava tudo isso, eu esqueci que cada sonho tem o seu tempo pra ser conquistado. Fazia muito tempo que eu não me sentia assim, perdida sem saber o que fazer com a minha vida… Na verdade, eu sei o que fazer como elas.
Eu sei qual a faculdade dos meus sonhos, eu sei que quero estudar cinema, eu sei que eu também quero ser escritora.
Eu só me perdi no meio do caminho. Quando eu digo me perder eu literalmente perdi a cabeça, especialmente com às pessoas.
Esse ano eu quebrei a minha cara com as pessoas, seja na vida profissional ou na vida pessoal.
Só que isso acabou causando que eu me afastasse dos meus melhores amigos, das minhas melhores amigas, de pessoas que são super importantes pra mim, pessoas que sempre me apoiou em tudo. Eles sempre me ajudaram em tudo, nos meus sonhos, nos meus medos, nas minhas brigas com meu namorado, se importam comigo, com a minha saúde mental, eles sempre querem saber se eu estou tomando os medicamentos, se eu estou me alimentando bem, se estou fazendo terapia. Eu sei que eles estão ali quando eu precisar e eles sabem que eu ali pro que der e vier.
Só que dessa vez tinhas três coisas, que eles não iriam conseguir me ajudar, pode ser que eles pudessem conseguir, eu nem dei a oportunidade pra eles ao menos tentar me ajudar.
A primeira: fiquei concentrada em não fracassar nos meus projeto e sonhos, que acabei esquecendo de cuidar de mim, eu esqueci que pra realizar tudo isso, eu precisava cuidar de mim.
A segunda: eu estou tendo problemas com a minha alimentação, antes que você pergunte: “Não, eu não estou com bulimia e muito menos com anorexia.”
Só que eu estou abaixo do peso, principalmente por causa da minha idade, eu estou desde do ano passado tentando me recuperar na alimentação e está sendo horrível, eu ainda não consegui me alimentar direito e eu também tomei e ainda tomo medicamentos muito fortes, hoje em dia são mais fracos, mas a uns quatro anos atrás eu cheguei a tomar uns 5 a 7 comprimidos. Então, isso me deixou muito péssima, eu não conseguia e nem consigo estar com meus amigos agora, é alto que ainda está difícil de enfrentar. Quando eu digo que eles não iriam conseguir me ajudar, eu estou querendo dizer que não adianta nada eu ter o apoio deles, se eu ainda não consegui processar tudo isso, se eu ainda não sei como me ajudar, eu posso ter o apoio deles, mas as coisas só começam a acontecer se eu fazer algo, se isso partir de mim, não adianta ter o apoio deles se eu nem consigo tentar ficar de pé… Sacou?
Eu também senti o quanto é difícil trabalhar com a internet e fazer faculdade ao mesmo tempo, como é complicado começar um negócio, criar conteúdo, alcançar um público alvo, conseguir manter aquele público, manter a rotina dos conteúdos, manter a sua vida pessoal e profissional organizada e separadas. Eu comecei a passar mais tempo ainda no celular, sempre ali conectada nas redes sociais e divulgando meu blog…
Eu vi tanta coisa que eu queria deixar de ter visto, que me deixou pra baixo, me fez se sentir com a autoestima lá em baixo, aquele Feed do Instagram, meu gzuscristinho, aquilo foi conteúdo tóxico pra mim… Quanto mais eu ficava ali olhando e vendo post e mais post, eu me sentia mal, ficava me comparado com tudo aquilo e pensando porque eu não podia ser mais parecida com as pessoas das daquelas fotos, eu ficava me cobrando muito que eu deveria me maquiar mais, tirar mais fotos pra postar, cheguei a me odiar por aí dá não conseguir me interagir com público, de ainda não consegui gravar vídeos, essa comparação me fez tão mal, entrou dentro de mim como um veneno.
Eu comecei a odiar meu corpo de novo, comecei a lembrar dos motivos que eu não estava saindo casa pra ver meus amigos.

Só que no meio de vasculhar as redes sociais, eu vi cinco coisas que me fizeram bem. Essas coisas ou conteúdo, estão me ajudando a enxergar a vida com outros olhos.

Primeiro – Eu li um livro que me deixou maluca, vocês não fazem ideia do quanto esse livro me deixou louca, ele foi o culpado de tudo que aconteceu nesses últimos meses, esse livro mexeu comigo de um jeito, que me fez se afastar das pessoas. Enfim, o livro se chama Todas as coisas Boas do meu autor favorito Mattew Quick, eu já falei desse livro aqui no blog, inclusive vou deixar o link da no final do post, eu não vou falar muito sobre o livro, porque eu ainda vou fazer uma resenha dele, mas pra vocês entenderem, o livro basicamente tem o ponto chave de dizer pra você sair pra fora da gaiola e ser você mesmo e fim. É basicamente isso. Depois disso, eu fiquei super perdida na minha vida, porque eu realmente me sentia como a Personagem do livro, eu não me sinta, na verdade inda sinto um pouquinho, que eu não faço parte desse mundo, dessas pessoas, sabe eu não consigo me identificar com elas. É tão raro eu me identificar com todas essas pessoas, parece que algo não caixa sabe? O livro me deixou mais maluca ainda, os livros dos Matthew Quick mexe muito comigo, eu até costumo dizer pra mim psicóloga que ele é ou deveria ser o roteirista da minha vida, eu me identifico com todos os livros dele, parece que ele tá falando aquilo pra mim, de alguma etapa da minha vida, tem um livro do Mattew Quick que me traz as respostas das coisas, que faz eu acordar.

Segundo – Gente, sempre que eu me sinto malzona, péssima e pra baixo eu vejo o filme: O Lado Bom da Vida, inclusive também tem o livro é que também foi escrito pelo Mattew Quick. Meu povo, eu sempre estou assistindo esse filme, não enjoou, repito algumas fala e mesma já tendo visto mais de mil vezes, eu sem consigo aprender de novo com esse filme e sempre consigo enxergar o lado bom da minha vida. O filme fala muito sobre enfrentar a depressão a bipolaridade, que é algo que eu enfrento desde de criança.

Terceiro – Fui salva pelo Instagram e canal da Ellora.
Gente, vocês não fazem ideia, do quanto eu sou grata de ter começado a acompanhar os vídeos dela de novo. Eu nem sei porque eu tinha parado de assistir, eu via alguns vídeos dela, mas eu demorava muito pra ir no YouTube, sempre ficava na Netflix.
Eu não sei explicar o tamanho da minha gratidão de ter começado a assistir os vídeos dela pra valer, de ver vários de uma vez, eu engoli os conteúdos do canal dela, aliás depois de passar as férias assistindo os vídeos dela, eu passei a falar a palavra GRATIDÃO quase todos os dias, estou tentando deixar essa palavra muito mais frequente no meu cotidiano, na minha vida. Os vídeos dela lavou a minha alma, meu corpo, está me renovando como pessoa. Eu vejo todos os dias agora, vejo quando eu estou mal, quando meu dia não começa bem ou não termina bem, os vídeos dela é uma resposta de que eu posso ser o quem eu sou, independente do que as pessoas vão dizer, eu tenho que me amar independente de que não ame, eu tenho um probleminha muito sério de achar que todo mundo tem que gostar de mim, que eu tenho que fazer aquela pessoa gostar de mim, aquela pessoa tem que me achar legal, alguma coisa ela tem que gostar… Só que não é bem assim… A Ellora está me ensinando que não tem problema nenhum existir pessoas que não gosta de você, que não devo me importar com elas, mas dá importância as pessoas que estão em volta de mim, a valorizar o que eu tenho, seja qual for a circunstância da vida. Aos poucos eu estou colocando em prática as dicas dela, os conselhos dela, isso tem me feito tão bem, como é gosto ter alguém pra se inspirar.
A cada dia que passa, eu me sinto mais livre ainda.
Sério, Ellora, meu amor, se um dia por acaso, você ler esse post, muito obrigada por existir, em um mês você já me ajudou muito, ainda está me ajudando e posso dizer com toda certeza que seus conteúdos vão continuar me ajudando. Eu espero muito poder mostrar a minha evolução aqui pra vocês no blog.
Eu vou deixar o link do canal dela e do Instagram aqui em baixo, pra quem não conhece ela e quiser conhecer. Enfim, vocês quem sabem.

Instagram: @ellorahaonne

Canal do YouTube: Ellora Haonne

Quarto – Eu voltei a ver os vídeos da Surya, pra quem não a conhece.
Ela tem um canal no YouTube a bastante tempo, ela estudava cinema e grava vídeos sobre isso no seu canal, e hoje ela é cantora também, ela também é atriz e faz uns vídeos com uns conselhos show de bola.
Eu comecei a ver os vídeos dela logo quando ela entrou na faculdade de cinema, eu ainda estava na escola e querendo estudar cinema… Fazia muito tempo que eu não via o canal dela e nem o Instagram, na hora que eu fui ver o Instagram dela, eu pirei!
Ela já era uma pessoa incrível, agora ela é mais Incrível ainda, foi bom rever os conselhos dela, os posts de motivação dela, isso me fez tão bem, me ajudou a ver uma luz dentro de mim que eu não estava tão perdida assim.

Quinto – Eu recebi a melhor notificação da minha vida. Eu tinha mencionado ali em cima que estava mal com o meu corpo… não que isso tenha passado totalmente.
Enfim, a Karina Rangel, postou uma foto esses dias… falando do Padrão da Magreza. Eu não preciso nem dizer, quanto mexeu comigo, o quanto eu me identifiquei com aquele post, eu até chorei muito, eu chorei de alívio, por descobrir que eu não me sentia assim sozinha, que eu não sou a única que enfrentar de não querer fazer parte desse padrão, alguém que perde peso sem ao menos saber o motivo, que não está feliz com isso e o pior de tudo é que você não pode tentar desabafar isso que você está sentindo, dizer que não se sente bem com seu corpo, que a sua magreza te incomoda, que você não se sente saudável, e que ter herdado uma cintura fina não é tão essencial assim. A Karina gritou pro mundo o que eu queria gritar a muito tempo e agora parece que aliviou bastante.

Olha, eu não sei nem como eu consegui escrever tudo que eu precisava, no início eu não tinha ideia de como me comunicar com vocês e agora já estou no final do post.
Eu queria finalizar dizendo que eu vou fazer umas mudanças na minha vida pessoal, na minha vida profissional, isso também inclui o blog, eu quero mudar e o blog também vai ter que mudar junto comigo, eu preciso ser eu mesma, preciso entender que não posso fazer tudo, sou uma pessoa só, um ser humano que ainda está aprendendo e vou continuar aprendendo que todos nós enfrentamos alguns pesadelos.

Eu vou continuar praticando na minha a importância sempre ser eu mesma, ser sincera comigo mesma e saber dizer não para as coisas, aprender a dizer quando algo está me incomodando, não deixar de acreditar na minha capacidade e não deixar de reconhecer que não sou perfeita e vai ter algumas coisas que eu vou ter dificuldades de realizar.

Tudo tem seu tempo, não precisamos ficar apressado as coisas pra elas acontecerem. Temos que aproveitar cada coisinha que acontece na nossa vida, ser grato a cada oportunidade que aparece em nossa porta, mesmo que seja uma oportunidade pequena, essa “pequena porta abre muitas portas e janelas pra você.

Seja grato pelo seu dia.

Seja grato pelos amigos que você tem.

Seja grato pela a família que você herdou.

Seja grato pelo seu emprego.

Seja grato pela faculdade que você faz, a escola que você estuda.

Seja grato por tudo que os seus pais fazem por você.

Seja você.

Seja grato por você existir.

Apenas, agradeça.

Eu espero muito ter o apoio de vocês e que de oportunidades as novas coisas que vão vir pra mim, pro blog e até pra vocês!

Nunca se esqueça: “Todos nós enfrentamos alguns pesadelos.” – Milena Alves

Um beijão da Mila e muita gratidão, até o próximo post.