Um Conto Nada Amoroso – (Capitulo 2) – CONTO DA JUJUBA

Um Conto Nada Amoroso

(Capitulo 2)

Eu fiquei olhando aqueles dois caras sair do carro, os dois estavam sem camiseta, mas é claro que tinha um que chamava mais atenção que o outro. Um dos caras era branquinho, todo malhado, ele tinha barba, tinha uma carinha de homem mal. Eu não me aguento quando vejo homem assim, eu fico de boca aberta, aliás se eu tivesse com a boca aberta, eu teria me babado inteira, ele era um DEUS GREGO. Quando eu percebi, era o amigo dele que estava me olhando, eu não gostei, fechei a cara e volto pra cuidar da menina que estava vomitando.

O telefone da menina começa a tocar, graças a Deus, era a mãe da menina, ela me pediu pra levar ela até uma praça, que era próximo da festa.

Meu primo e eu levamos a menina até a pracinha, a mãe dela me agradeceu por ter cuidado da filha dela, então nós voltamos para festa.
Eu entrei, eu fui atrás da minha amiga, desci as escadas e encontrei ela sentada no sofá com um menino, eu chamei ela, eu precisava contar para ela dos dois gatos, que tinham acabado de chegar na festa e que deveriam ser mais velhos que a gente, foi quando eles passaram na nossa frente e ficaram parados por um minuto, depois sairão andando novamente.

_”Iara, olha o menino de barba, ele faz o meu tipo.”

_”Eu vi… Dúvida eu pegar?”

_”O QUÊ????”

Eu não acredito que ela tá furando meu olho, na cara dura, ok, ela já está cortada na minha lista de amigas, vai ficar lá como coleguinha.

_”Olha, com certeza, eu duvido você pegar ele.”

_”Olha e aprende.”

Ainda é desaforada, vê se pode. Eu queria ver ela tomar um belo não na cara, que porra. Ela não percebeu que já pegou metade da festa?

Fomos atrás deles, já que eles estavam andando, então seguimos eles, que a Iara foi andando na minha frente, fiquei bem atrás dela, afinal eu estava observando. Eles andaram em direção a porta, saíram pra fora da festa, foram até o carro, eu fiquei parada na calçada, a Iara seguiu eles até o carro. Eu virei pro lado, eu vi meu primo conversando com os seguranças, volto a olhar para a Iara, o menino abaixa o vidro do carro e eles começam a conversar.

_”Juuh, vem aqui…”

_”Osh, pra que?” – Ela fura o meu olho, ainda quer que eu vá lá?

_”Eles estão chamando nos duas, pra dar uma voltinha, vamos?

_”Sai fora, eu nem conheço eles, prefiro ficar aqui mesmo.”

_”Ela ja disse que não vai!” – Gritou meu primo.

Foi quando o cara que tava no passageiro, amigo do Deus grego.
Ele saiu pra fora do carro, olhou pra mim, veio em minha direção e me disse:

_”Ei garota, a gente não morde, sabia?”

_”Hmmmmm… É mesmo? Como eu vou saber? Nem te conheço.”

_”É só você vir dar uma volta de carro com a gente.”

_”Até parece, eu já disse, eu nem te conheço.”

_”Podemos mudar isso agora.”

_”Como se isso ajudasse. Como é que eu vou ter certeza, que você não pretende me sequestrar e depois jogar meu corpo por aí?”

_”Agora eu tenho cara de Jack ou de um sequestrador? Tá ficando maluca?”

_”Eu vou lá saber, não está escrito na cara das pessoas quem elas são, não acha?”

_”Vamos Juh, você precisa experimentar coisas novas.”

_”Ela já disse que não vai Iara, agora para de encher o saco. Juliana, entra pra dentro.”

Eu não ia com a Iara, mas quem meu primo acha que é, pra ficar gritando comigo no meio da rua?

_”Iara, tem certeza que vai com eles?”

_”Eu não vou, se você não vai, eu vou ter que ficar.”

O menino abaixou o vidrou, disse algo para a Iara e depois beijou ela.

Ele olhou pro amigo dele beijando a Iara, depois voltou a olhar pra mim e disse:

_”Eu vou ter que ir, mas eu volto pra você Juh.”

_”Quem você pensa que é, pra me chamar de “Juh.” Eu não te dei essa intimidade.”

Ele sorriu pra mim e entrou pra dentro do carro. Minha amiga já tinha parado de beijar o menino, ela veio em minha direção limpado os seus lábios. Fiquei pensando, que o último que beijou ela, pegou a saliva de todo mundo.

_”Juliana, você é muito idiota! Você deveria ter topada, a gente ia estar em rolê com esses dois gatos.”

_”Você que é idiota, eu quê não vou entrar em um carro, com dois homens desconhecidos.”

_”Para de drama! Até parece que eles iam fazer alguma coisa, são gente boa.”

_”Sério, como é que você sabe disso?”

_”Sla, eles não tem cara de que faz essas coisas.”

_”Você é doida, com certeza todo psicopata tem cara de psicopata. Você é muito burra, não pode sair confiando em todo mundo que você conhece nas festas.”

_”Chega dessa conversa, eu quero fazer xixi, vamos entrar pra festa.”

_”Eu só vou ir, porque eu também quero fazer xixi.”

Continua….


Desenho Autoral – Todos os Direitos Reservados. Artista: Byanka G. Nunes.

Edição do texto, foi feito por Mila.

Eu sei que demoramos um pouquinho pra postar a continuação, mas é que não tão simples assim, nossos texto tem que ser revisado várias vezes antes de postar, pra evitar erros de ortografia, mas mesmo assim, as vezes acaba tendo alguns erros, estamos aprendendo o tempo todo.

Eu espero que vocês tenham gostado da continuação, amanhã vai sair o capítulo três. Não deixa de acompanhar nossos blog.
Divulga muito entres os amigos, pra nós ajudar.

Mande a sua fanfic, história, poema, critica, desabafo, e etc para o nosso e-mail: adolescênciadelua@gmail.com.

Não deixa de seguir o nosso instagram: @blogadolescênciadelua.
Em breve, vamos começar postar conteúdos por lá, inclusive videos pelo IGTV!

Beijão da Jujuba, até amanhã!

Primeiro você.

Tente não escrever
Sobre dor e sofrimento
Tente sorrir
Quem sabe, o tempo inteiro
Vai, sai pra rua
Pula poça, bebe da chuva
Se machuca
Arrisca, se corta, aborta
Faz de tudo
Anseie, canse de não fazer nada
Mas pense bem
Em uma coisa
Coração é um só
Antes de se jogar
Fortalece seu auto amor
Antes que vire pó
Sinta-se amado
Se encha
De carinho
E somente
Depois disso
Aprenda a amar
Outro coraçãozinho

Até a próxima escrita!

-TRACA.