Fanfic: Colega de Quarto – Rommate. (Part.3)

Gente, hoje é a continuação da Fanfic, daquela leitora.
Quero pedir desculpa pela demora, mas estou passando por muitos problemas pessoais, ai fica difícil fazer tudo ao mesmo tempo, mas logo isso passa.. Chega de enrolação e vamos pra Fanfic.

Pra quem ainda não leu o Capítulo 1, vou deixar o link aqui em baixo:
Capítulo 1: Fanfic: Colega de Quarto – Rommate.
Capítulo 2: Fanfic: Colega de Quarto – Rommate.

Eu espero que gostem da Fanfic.

Boa Leitura!


Fanfic: Colega de Quarto – Rommate. (Part.3)

08:10 AM

Acordei com o som do alarme tocando repetidas vezes. Olhei pro lado e Cassie já tinha desaparecido. Amarrei o cabelo e fiquei sentada encarando o chão por dois minutos, eu precisava de mais uns minutinhos. O relógio despertou novamente e notei que estava completamente atrasada.

“Merda!” sussurrei.

Levantei correndo e vesti o uniforme. Eu só queria matar a idiota de Cassie, não custava nada ter me acordado. Fui correndo pra sala, e logo uma monitora veio em minha direção.

-Mocinha? O que faz esse horário perdida nos corredores? -Perguntou me encarando.

Fiquei quieta.

-Está atrasada, espere a próxima aula e não me deixe saber que isso se repetiu. Aqui existem regras, e atrasos podem acabar com sua ficha. -Falou séria.

Fui em direção a um pequeno banco que havia no corredor. Eu só queria dormir e sumir desse lugar, encostei a cabeça na parede e cochilei.
Logo acordei assustada, o alarme da próxima aula tinha acabado de tocar e estourar meus tímpanos.
O ruim de estar atrasada é que consequentemente você vira o centro das atenções, todo mundo decide olhar. Desviei o olhar e sentei no fundo da sala. Umas meninas riam, e notei que umas pessoas faziam cara feia pra mim, nada de novo, porém os olhares começaram a me incomodar. Dei uma leve inclinada na cabeça e notei que estava cheirando muito mal.

-Você saiu de um valão, Lariesce? -Perguntou em tom irônico.

Eu dormi sem tomar banho e ainda acordei atrasada. Bom dia pra mim! Levantei e fui direto pro banheiro, tentei desviar o olhar da megera da monitora e por enquanto deu certo.
Cassie é a pessoa que mais cabula aula, e nunca se dá mal, talvez seja melhor tomar um banho e dormir o resto do dia.
O banheiro estava vazio, uma raridade nesse lugar, alguns males vem pra bem, vou poder tomar banho direito. Liguei o chuveiro e entrei de vez, e de repente ouvi barulhos e sussurros.
Alguém entrou pra acabar com minha paz, decidi olhar por uma fresta e era um casal, isso mesmo, um CASAL! Que provavelmente estão cagando pra tudo e vão transar no banheiro feminino… E pensar que eu estava com medo de matar aula.
Sequei o cabelo e fui direto pro quarto, horrorizada com o que presenciei.
Tranquei a porta e decidi mudar de roupa no quarto, afinal, não sou obrigada a ouvir o prazer dos outros de graça. Por algum motivo, meu uniforme não estava na gaveta, e eu tive que revir a bagunça inteira que tava o meu lado. Coloquei apenas minhas roupas intimas e decidi procurar, me ajoelhei e fiquei em uma posição constrangedora, logo ouvi um barulho e um solavanco só na porta, caí de bunda no chão e dei um grito.

-Merda! -Gritei.

Cassie tampou os olhos e riu.

-Pelo amor de Deus, hein. Acho nudez algo bacana, mas em pleno horário de almoço?! -Falou rindo.

Me cobri com um lençol e respondi enfurecida.

-Isso não teria acontecido se alguém por gentileza tivesse me acordado. -Falei.

-Eu tentei, mas você estava completamente fora de si. -Falou sentando na cama.

Tudo ficou em silêncio.

Levantei e olhei pra Cassie, ela retribuiu o olhar e ficamos nos encarando.

-Tá… Viu meu uniforme? -Perguntei ficando em pé.

Cassie levantou e revirou uma pilha de roupas.

-Ai está. -Falou me entregando um pequeno pacote.

Recebi um uniforme novo, até porque ficar com um uniforme GG ninguém merece.

-Valeu. É o pequeno. -Falei sorrindo.

Cassie continuou me encarando, e eu fui ficando cada vez mais vermelha.

Virei de costas e vesti o uniforme, peça por peça. Senti o olhar de Cassie sobre mim, quando me virei ela já havia desviado o olhar.

-Bem melhor, hein. -Falou.

Dei um sorriso.

00

Após uma das atividades extracurriculares, decidi tomar um ar no pátio. O sol saiu pela tarde, e sentir o calor só me fez ficar melhor. Coloquei meus fones e me desliguei do mundo. Após um tempo senti algo me cutucar e era o tal garoto que me ajudou na noite passada.

-Ei, Lariesce né? -Perguntou.

Tirei os fones e sorri sem graça.

-Isso! James? -Perguntei.

Ele ficou me encarando por alguns segundo, deu uma golada no suco e sorriu.

-Exato! -Falou sorrindo.

James era muito bonito, tinha olhos verdes, cabelo cor de mel, um pouco bagunçado, alto e um pouco forte.
Desviei o olhar e fiquei olhando pra frente.

-É… O que pretende fazer hoje na madruga? -Perguntou.

-Pretendo estudar até tarde, preciso me organizar. -Falei.

James me olhou surpreso e continuou a me encarar.

-Que estudiosa, hein. -Falou rindo.

Dei um sorriso de lado.

-Por que o interesse? -Perguntei.

James coçou a cabeça e desviou o olhar.

-Ah, ia te chamar pra dar uma volta pela escola, ir no jardim a noite é um dos meus fetiches. -Falou rindo.

Dei um sorriso e mexi no cabelo.
Dá pra acreditar?! Ele me chamou pra sair na maior cara de pau.

-Não sei se dá, mas passa lá se quiser. Já sabe onde meu quarto fica. -Falei num fôlego só.

O sinal tocou e James se despediu. Fui andando pelo jardim, e vi Cassie fumando com duas garotas atrás do pátio. Talvez ela realmente não seja uma boa influência, tô tentando colocar minha vida no lugar. Olhei rapidamente e ela olhou pra mim de volta. Acelerei o passo e fui pra aula de Teatro.

00

A escola era enorme, mas o corredor do teatro é simplesmente lindo. Um auditório grande, e bem no fundo, as pessoas que participam da aula. Pra variar cheguei atrasada e as meninas não perderam tempo pra cochichar.
Me sentei um pouco mais afastada das pessoas e logo um homem baixinho e de barba grisalha entrou, andando pra lá e pra cá.

-Boa tarde! Bom, temos algumas pessoas novas aqui, sejam muito bem vindos! Aqui tem um formulário com exigências, nada de muito relevante. -Falou entregando uma folha.

Ouvi passos rápidos e uma voz conhecida, me contive e não olhei pra ver quem era.

-Migdton chegou cedo pra aula de amanhã. -Falou rindo.

Todos riram.
Era Cassie, e pra variar, ela fazia teatro também. Por algum motivo ela me irritava, algo me dizia pra ficar longe dela o tempo o inteiro. Me perdi nos meus pensamentos logo o senhor começou a explicar as regras. Na próxima aula iriamos escolher os papéis disponíveis e ver se estamos aptos pra incorporar o personagem.
Sou apaixonada por teatro, porém, sou tímida, e esse foi um dos motivos pelo qual escolhi essa atividade.

-Lariesce? Venha até aqui, sempre que novos alunos entram, eles se apresentam no palco. -Falou.

Todos me encaravam, esperando alguma reação. Dei um suspiro e levantei, subi uma escadinha e me apresentei.

-Bom… Sou Lariesce, tenho 17 anos e sempre me interessei por essa área. Espero ter momentos bons aqui. -Falei saindo logo em seguida.

Cassie não parava de me encarar. Mexeu no cabelo e se sentou largada em uma das cadeiras do auditório. Ela era a única pessoa que cagava para as  regras do uniforme. No lugar das sapatilhas ela usava um coturno de cano médio, a gravata folgada e o suéter por cima.
Desci as escadas e sentei em um dos bancos e continuei a ouvir as intermináveis regras do professor.

00

Após o final da aula, fui andando pelos corredores atrás da biblioteca. Entrei, deixei minhas coisas em um armário e fui procurar algo pra ler. Dos romances á ficção científica, não fazia idéia do que pegar pra ler. Ouvi uma voz conhecida no meu ouvido esquerdo, e quando olhei pro lado, era Cassie.

-Que susto! Tá fazendo o que aqui? -Perguntei.

Cassie me olhou risonha.

-A biblioteca é pública, senhorita. -Falou rindo.

Dei um sorriso e peguei um livro. Comecei a folhear e senti o olhar de Cassie sobre mim.

-Ah, esse é legal. -Falou.

-E por acaso você lê? -Perguntei.

Cassie me olhou surpresa.

-Sempre li. Pelo jeito tu não sabe nada mesmo sobre mim. -Falou.

Fiquei cabisbaixa.

-Eu te recomendo esse, Colorful Memories. -Falou apontando.

Coloquei o outro no lugar e peguei o que ela havia dito.

-É sobre o que? -Perguntei.

-Romance, drama e fantasia. Bem gay. -Falou rindo.

Peguei o livro e decidi ler, confesso que fiquei curiosa.

Fomos andando e logo o sinal tocou, era hora de tomar banho e se arrumar para o jantar.
O banheiro estava um caos, eu detesto ser menina nessas horas.
Fiquei de roupão esperando o banho de três horas das frescas daqui. Uma delas saiu e ficou fazendo a sobrancelha no espelho, apenas enrolada na toalha.
Entrei no banheiro e fiquei ouvindo o papo delas.
Nada que seja muito saudável, apenas os intermináveis assuntos de macho que fazem parte do vocabulário pobre delas.
Uma delas bateu na porta e eu levei um susto considerável.

-Anda logo, aqui não é hotel não. -Falou com tom agressivo.

Meu sangue ferveu e eu tentei ignorar. Aumentei o chuveiro e comecei a cantarolar.

-Mas que idiota! Garota, tu não brinca comigo. -Falou.

Sai do chuveiro e ela me comeu com os olhos, se o vapor não fosse do meu chuveiro, juro que acreditaria que era dela. Parei, a encarei e soltei o verbo.

-Eu acabei de entrar, e não sou obrigada a sair porque você quer, o tempo limite é 20 minutos, e fazem 10 que eu estou ali. Sua amiga ficou quase 40 minutos só lavando o cabelinho de princesa dela, e eu não reclamei. -Falei saindo.

As três me olharam surpresas e uma delas revirou os olhos.

-Vai se foder. -Falou me empurrando.

Senti meu corpo todo esquentar, queria matar aquelas idiotas, mas sei que vai dar um problemão, então engoli a seco e sai.

-Não encosta de novo em mim. -Falei saindo.

Sei que não devia procurar inimizades, mas tem gente que não dá.

00

Vesti minha roupa e sequei meu cabelo, fiz um coque bagunçado e dei uma organizada no meu lado. Cass entrou de roupão com uma toalha enrolada na cabeça e ficou procurando uma roupa no meio da zona dela.

-Juro que um dia arrumo isso. -Falou rindo.

Dei um sorriso de lado e mordi um cereal que havia achado no meio de umas roupas.

-Ei! Meu cereal! -Falou.

Enfiei tudo na boca e tentei mastigar a bola que tava aquilo.

-Sinto muito, isso tava de baixo da minha cama a séculos. -Falei de boca cheia.

Cass se vestiu e eu não deixei de reparar o sinalzinho que ela tem perto do umbigo.

-Ah, não ligo mesmo. -Falou rindo.

Suspirei e tudo ficou em silêncio, o sinal já havia alertado que faltavam 10 minutos pro jantar.

-Me meti em encrenca hoje. -Falei.

Cass me olhou surpresa e deu uma gargalhada.

-O que tu fez? -Perguntou.

-Uma garota ficou enchendo a porra do meu saco e eu respondi mal. Acredita que ela me empurrou?! -Falei com tom de voz surpreso.

Cass me olhou assustada.

-Você sabe mais ou menos como ela era? -Perguntou.

Tentei me recordar, e os traços marcantes da menina vieram perfeitamente na minha cabeça.

-Cabelo longo, loiro e olhos verdes. Era da sua altura e tinha o corpo bonito. Anda sempre com duas meninas, uma morena e outra loira mais magrinha. -Falei.

Cass riu e fez uma cara estranha.

-Elas sempre arrumam confusão, se sentem as donas daqui. O ruim é que se uma delas guardar rancor de alguém, elas infernizam até a pessoa beijar os pés delas. -Falou arrumando o cabelo.

Confesso que fiquei preocupada, mas não me arrependo de nada do que disse.

-Acho que estou fodida. -Falei calma.

-Relaxa, elas me odeiam também. -Falou.

O sinal tocou e fomos pro refeitório.

00

Após o jantar, voltei pro quarto e fiquei deitada mexendo no celular inútil que eles dão pra substituir o seu enquanto estamos aqui. Decidi ligar pra Angel e contar tudo.

Ligação On

-Oi? -Falei.

-Lariesce! Ai meu Deusssss! Eu nem acredito. -Falou nervosa.

-Pode acreditar! -Falei rindo.

-Como que tá as coisas ai? -Perguntou.

-Acho que bem. Minha colega de quarto é a aluna mais ficha suja que você respeita. -Falei rindo.

-Ela te bateu? Isso é demais! -Falou rindo.

Dei uma gargalhada.

-Ainda não, mas já tem gente querendo. -Falei.

-Ai, queria estar ai. -Falou.

-Sinto tanto sua falta. -Falei.

Ouvi passos e tentei encurtar o assunto.

-Tenho que ir, Angel. Eu te amooo! -Falei emocionada.

-Eu também amo você! Dá notícias, hein. Beijo. -Falou chorosa.

Ligação Off

Desliguei o telefone e Cassie entrou com tudo no quarto. Se jogou na cama e fechou a cara.

-Tá tudo bem? -Perguntei levantando.

Cassie suspirou.

-Parece? -Falou com tom grosseiro.

Me sentei e recebi uma mensagem de James confirmando o encontro.

-Eu tô cansada desse lugar, de tudo. -Falou chorando.

Fiquei sem reação e sentei do lado dela.

-O que aconteceu? -Insisti.

-É uma longa história. -Falou.

Nunca pensei que veria Cassie chorando.

-Se quiser contar, tô aqui. -Falei.

Cassie ficou em silêncio e eu acariciei seu cabelo. Ela deitou a cabeça no meu colo e desabou, sem dizer ao menos uma palavra.
Não sei o que senti naquele momento, mas eu só queria cuidar dela e dizer que vai ficar tudo bem, mesmo sem entender o que ela estava sentindo.
Após um tempo ela adormeceu e eu percebi que estava completamente atrasada. Levantei e fui direto pro pátio.

00

Vi James sentado, olhando o relógio e olhando pros lados, cauteloso.

-Ei. -Falei.

Ele olhou pra trás surpreso.

-Larie! Que bom que não me deu um toco. -Falou me cumprimentando.

Estava muito sem graça, sem total noção do que fazer\falar.

-Me desculpa, teve uns imprevistos. -Falei sentando em um banco.

James sorriu.

-Tudo bem, acontece. Como foi seu dia? -Perguntou.

Contei resumidamente o que havia acontecido, e fomos andando. James era a melhor pessoa pra conversar, ele me lembrava um ex namorado que tive, não sei se isso é bom ou ruim.  Chegamos a um lugar afastado do pátio, várias coisas jogadas e um galpão.

-Que lugar para se trazer uma garota, hein. -Falei.

James deu um sorriso torto e abriu a portinha. Era um porão enorme, tinha sofá, quartos e mesas.

-Aqui é o esconderijo dos legais. Quase toda sexta tem festa, é quase impossível ouvir barulhos daqui. -Falou.

Fiquei encantada com o lugar, e fui entrando. James veio logo em seguida e fechou a portinha.

-Por que fechou? -Perguntei.

-Ah… Sabe como é, né. Riscos! -Falou risonho.

Fiquei um pouco assustada, mas ignorei, afinal,  realmente era bem arriscado.

-Se descobrem esse lugar, fodeu. -Falei sentando em um sofá.

James ficou em silêncio apenas observando, e sentou do meu lado.

-Nem me fale. -James levantou novamente e pegou uma cerveja em um estoque.

-Quer? -Perguntou.

Neguei e fiquei observando ele beber.

-Faz tempo que não bebo. -Falou.

-Eu nunca bebi. -Falei rindo.

Ele ficou surpreso.

-Jura? Que santinha. -Falou.

Fiquei quieta.

-Isso é ruim? -Completei perguntando.

James se jogou no sofá a minha esquerda e deu mais um gole.

-Não é não, eu gosto. -Falou.

“Eu gosto” abusado… Notei que James estava ficando um pouco alterado.

-Já tá bem tarde. -Falei.

James sentou perto de mim e ficou me encarando.

-Eu gosto daqui, metade do colégio sabe desse lugar, mas apenas algumas pessoas tem acesso direto. -Falou.

-Que famosinho. -Falei.

James riu e foi se aproximando lentamente da minha boca. Quando eu percebi já estava o beijando. Sua mão foi deslizando pelo meu corpo, e ele começou a abrir os botões da minha blusa.

-Ei… melhor não. -Falei tirando a mão dele.

Ele insistiu e continuou a me agarrar. Tentei me esquivar e ele começou a ficar bruto.

-Eu já falei que não. -Gritei.

James parou e me olhou assustado.

-Dá licença. -Falei levantando e indo em direção a porta.

James ficou furioso e levantou junto.

-Vadia. -Gritou.

No mesmo momento meus olhos encheram de lágrimas, e eu sai, fechando a porta com tudo.
Fui horrorizada pro quarto, querendo que aquilo sumisse da minha memória. Desabei, e tentei me conter ao entrar no quarto. Não sabia o que Cass estava passando, e de sofrimento, já bastava o dela.
Tentei abafar o choro no travesseiro, quando senti uma respiração no meu pescoço, era a voz dela, e por um momento meu corpo se arrepiou.

-Lari? -Falou baixinho.

00000000

Continua…


O que vai acontecer no Capitulo 4? Só na na semana que vem, nós mesmo dia e horário, eu espero que tenham gostado do capitulo de hoje!

Não deixa de curtir, comentar e compartilhar em suas redes sociais, isso me ajuda muito!

Beijão da Mila!