Pedra-flor

Queria ser pedra como queria saber flor
Sem dor
Sem sabor

Queria sentir tanto quanto uma pedra sente
Mal sente
Não é carente

Queria amar como a pedra ama
Tão fria
Mal clama

Queria ser menos
Como a pedra que incomoda o sapato
Mal sirvo pra comer no prato

Queria ser tão simples como o asfalto
Pois já me pisam mesmo
Grito alto

Queria ser a pedra preciosa de um monumento
Aquela lá dentro
Que se tira, desmorona por inteiro

A verdade é que eu não queria ser pedra
E sim tão aclamada como qualquer outra flor
Mas nem borboletas me rodeiam, só sinto pavor

Queria ser querida como a rosa e também o girassol
Mas me plantam na sombra
Quando eu também preciso de sol

Sou especial e mal sabem me cuidar
Só aparam
Porque espinhos demais não são de bom grado

Quanto mais tocam mais eu machucou o toque
Me vêem com tanto desgosto
Que mal solto um broto

Talvez a culpa seja minha de não entender meu valor aqui
Mas não sou a única culpada
Há de me ir

Aqui me vou e me encolho
Na surdina
Pra não causar alvoroço

Na esperança de que assim alguém sinta falta
Sabendo que não
Desisto, por fim
Me recolho

Até a próxima escrita!

-TRACA