O intenso, não amor!

Eu nunca fumei, cigarros não faziam parte da minha vida, mas eu me vi ontem comprando uns maços e agora estou na janela do quarto fumando um, eu não sei exatamente o que estou esperando, talvez que os lençóis e companhia se lavem sozinhos para sair o cheiro dele. Não sei exatamente o que fazer agora que acabou, sair para um bar e esperar alguém aparecer e tomar uns drinks? Pagar uns drinks para alguém? Devo chamar alguém? Acho que não, mesmo que sejam amigas, elas vão querer procurar alguém e eu não quero ouvir todo aquele discurso de sempre.

Eu to aqui olhando para o nada e tentando entender o que foi tudo que vivi, não foram anos e muito menos meses, foi só algumas semanas, não foi nenhum romance, ninguém se apaixonou, nem se machucou, mas foi intenso, a maneira como conversávamos sobre tudo, como tínhamos o mesmo gosto musical, a ideia de não precisar dar satisfação e nem precisar ter encontros, era simples, pode parecer, mas não foi amor, alguns diriam que foi uma amizade colorida, mas isso é desculpa para amar escondido, era verdadeiro, tinha carinho, mas não tinha paixão.

Deve ser por isso que estou perdida, será que me atrevo a ter um amor? Mais uma aventura? Sigo sozinha? Já fez alguns dias que decidimos parar, mas ainda não sei para que lado seguir, dizem que o amor é maravilhoso, mas eu amo aventuras, eu também amo pode chegar em casa e beber um whisky sozinha, ler um livro, não me preocupar com mais nada além do que irei comer no fim do dia, talvez um lanche ou um miojo, por que as pessoas gostam tanto de fumar?

Essa indecisão acaba comigo, talvez eu mande uma mensagem agradecendo pelo o que passamos, pelo o me tornei, porque quando esbarramos em alguém, parte nossa muda, aquela mania chata dele de sempre colocar as cobertas por baixo dos pés e agora eu me pego não dormindo sem fazer e algumas outras coisas, como rir de erros sérios, um pouco do humor irritante também está aqui.

Eu não quero que ele volte, pode não ser igual ao que foi, vai que a gente se machuca, para que correr o risco de perder tudo o que passamos? Destruir um sentimento bom nunca vale, talvez eu deva sair um pouco, será que passo um batom? Eu não sei, acho que estou fugindo do fato que tenho que ir viver, não quero ter que tomar nenhuma decisão agora, sinto que estou a deriva esperando alguma coisa bater e se enroscar, e sair me puxando por aí, quando na verdade eu deveria estar nadando, não é só sobre o que devo ou não fazer, é sobre eu não saber se estou sentindo saudades de uma pessoa que eu nem amo, acho que devo passar um batom quando for sair.

Deu para entender o quanto estou confusa? A vida ta ali me esperando tomar várias decisões e eu estou com preguiça, talvez com um pouco de medo do que me espera, essa ideia de fazer grandes planos, se casar e ter filhos antes dos 30 é um saco e eu não vou seguir ela, mas deveria me arriscar a mandar uma mensagem agradecendo e se por acaso surgir a oportunidade de se reencontrar? Acho que vou acabar congelando.

Escrevi a mensagem, mas obviamente eu não a enviei, mas também não apaguei, o que eu estou fazendo da minha vida? E se ele sentir algo por mim? Nunca pensei nessa possibilidade, eu posso ser a pessoa tóxica na vida dele ou quem vai deixar ele feliz, sem querer ou talvez por querer acabei enviando a mensagem, credo, estou parecendo uma garotinha com seu primeiro encontro marcado, apesar que nunca tive um encontro daqueles, igual aos filmes, com flores, muito menos luz de velas, acho que vou tirar um cochilo.

Eu mal consigo abrir os olhos e percebo que meu cochilo não foi tão rapidinho, acho que sonhei até, tem mensagens no meu celular, É ELE, me encontro encarando o celular com medo da resposta, não que eu tenha mandado uma declaração, apenas agradeci, falei que quem sabe a gente não se esbarra de novo e um boa sorte com uma ridícula carinha piscando, sua resposta é quase um soco na minha cara, ele quer me ver, HOJE, mas eu dormi e já são 2 horas da manhã, vou responder explicando que cai no sono e ir tomar um banho para dormir de novo, mas antes mesmo de pegar a toalha Ele já me responder, será que ficou me esperando? Até parece, ele não faz esse tipo, ele não faz o meu tipo, deve ser por isso que é diferente, sua resposta foi rápida por ele nunca dormir cedo, mas ele está vindo para cá, vindo me buscar para ir comer um lanche em um trailer que fica aberto, é um encontro? Eu não sei, vai dar certo ou ser como era? Também não sei, mas eu não vou passar nenhum batom.

Eaeee manas do meu coração, tudo bem? Perdão por viver sumindo, é que a vida ta uma loucura, eu escrevi esse clichê a um tempinho e resolvi mostrar para vocês, não é nada sobre mim, mas espero que tenham gostado e quem saibe eu não trabalho mais para posts assim, nunca se sabe, estou com saudades de vocês e tentarei não sumir tanto!

Com todo o amor, Abibi e sua galáxia! 💙

19 comentários em “O intenso, não amor!

  1. Que saudades que eu estava desse blog, a vida anda tão corrida que eu fazia um tempo que eu não acessava e mesmo assim tá cheio de posts.
    Fico feliz,. Eu amei o texto, suas palavras foram lindas, imaginei a cena da história.

    Curtido por 2 pessoas

  2. Todos:Você sofre de depressão, TOC, ansiedade, síndrome do pânico, entre outros… ? Acabei de criar um blog para compartilhar experiências e momentos reais relacionados a esse turbilhão de sentimentos! Entrem e confiram… Deixe seu comentário para eu saber se devo continuar! Link: https://wp.me/paJGlq-m

    Curtido por 2 pessoas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s