Um Nu no Corredor – Capitulo 30 – Série Os Freitas

Capitulo 30

Conrado

Quando saímos de casa, deixei Violeta no trabalho e fui para meu, ainda preocupado com ela, mas ela me disse que já estava bem melhor e que eu não precisava me preocupar, isso não me deixou mais calmo, mas mesmo assim estava com uma sensação estranha, não era ruim, apenas estranha, algo que nunca senti antes espero que não seja nada ruim. Na hora do almoço liguei para ela a fim de saber como ela estava, se queria que eu fosse buscá-la para almoçarmos juntos, ela falou que iria pegar uma carona com Liza e iriam almoçar juntas, disse também que estava bem. Resolvi chamar a Lilian para vir comigo, quando estávamos saindo encontramos Isabela com aquele jeito venenoso que lhe é peculiar, ainda me pergunto como pude ser tão apaixonado por uma pessoa tão superficial como ela, bem, desde que Violeta entrou em minha vida não consigo ter olhos para nenhuma outra mulher. Ela se aproxima sarcástica:

– Oi coelhinho, como você está ótimo. O que está te fazendo tão bem assim? Será que foi o aumento no salário? – Sorriu maliciosamente para mim e ao meu lado Lilian revira os olhos incrédula:

– Esse coelhinho aqui está em outra toca que não é a sua, e não é o aumento de salário, não, é amor mesmo. Vamos Freitas estou faminta – ela sai me puxando deixando Isabela sem jeito, saímos rindo da situação.

Assim que chegamos ao restaurante nos acomodamos e fizemos nossos pedidos, ficamos um bom tempo conversando sobre tudo e rindo muito, terminado nosso horário de almoço, voltamos ao trabalho e tudo correu muito calmo, Isabela ainda me incomodou mais algumas vezes tentando descobrir coisas da minha vida, pois se sente frustrada por não ter mais o controle da minha vida. Quando eram 18:00 arrumei minhas coisas e me dirigi a saída calmamente, por alguma razão estava radiante, ansioso para chegar em casa, ver aquela pequena que mudou toda minha vida e rotina. Quando ela entrou na minha vida, foi como se a luz do sol emergisse depois de uma grande tempestade e brilhasse. Assim que cheguei em casa vi-a estava sentada com as pernas cruzadas, estilo borboleta, em cima do sofá com um olhar preocupado, assim que me viu resolveu pôr-me a par de sua preocupação.

– Preciso te contar uma coisa…

Deixou aquilo no ar, comecei a ficar tenso, se passaram milhões de coisas em minha cabeça, coisas não tão boas por isso fique de testa franzida.

 – Violeta, aconteceu alguma coisa?

– Bom, sim…. – Essas pausas estão me deixando ainda mais preocupado e esse olhar também.

– Você está me deixando nervoso com esse silêncio, fale logo o que está acontecendo? – Falei decidido, ela deu um grande suspiro e começou a relatar:

– Eu não sei se você vai gostar da notícia que tenho para lhe dar – ela olhou para baixo respirou novamente, levantou a cabeça confiante e disse – Eu estou grávida.