Eu não sei você, mas eu não vou negar.

Eu não sei você, mas eu não vou negar, eu ainda me importo com você. 
Eu não sei você, mas eu não vou negar que eu ainda sinto a sua falta. 
Eu também não irei negar que sempre penso em você. 

Eu não sei porque, mas ainda me importo com você. 
Eu ainda sinto a gente tão próximas e ao mesmo tempo tão distantes. 
As vezes sinto, como se você fosse inalcançável para mim. 
Tão distante como uma estrela cadente caindo do céu. 

Eu sinto tanto, mas tanto. 
E você, sente o que? Sente muito? 
Fico tentado decifrar o seu silêncio, me pergunto o porquê de tudo isso. 

Eu não sei você, mas acho toda essa situação idiota.
Garota, chega de twitter e de toda essa lorota… 
Nesse rolo todo, somos duas idiotas, vivendo nessa vida bandida, somos duas perdidas, tentando se reencontrar consigo todos os dias. 

Eu não sei quem é mais louca… 
Se sou eu que sinto e não me escondo. 
Ou se é você… Que sente e finge que não sente, 
que sempre vive fugindo da verdade, 
sempre se escondendo das pessoas, escondendo tudo sente. 

Eu já disse pra você, somos duas idiotas. 
Estamos loucas e perdidas dentro desse triângulo das bermudas. 

Sim, mesmo depois desse tempo todo eu ainda me importo com você. 
Sim, mesmo depois desse tempo todo, eu ainda sinto falta. 
Essa situação resolvida e mal resolvida ainda me doí, mas assim como você, eu também segui, só que sem deixar de sentir. 

Eu te disse, eu sou uma guerreira, posso até ser uma Viking. 
Eu sempre estou de pé, em prontidão,
com a minha armadura na mão. 
Pronta pra lutar.

Meu amor, sou descendente Lagertha. 
Estou pronta pra lutar por mim, lutar pelo mundo, lutar pela minha família, lutar pelos meus amigos, exatamente como lutei por você. 

Eu sei, assim como eu, você também venceu grandes batalhas.
Mas ainda estamos aqui, lutando pra vencer uma guerra. 
E no final, não importa quem ganha, sabe porquê? 
Porque eu já disse, eu não tenho tempo pra competição de quem se importa ou não. 
Sem tempo, irmão. 

Eu estou cansada das minhas amigas me dizendo o que devo ou não fazer. 
Cansada dessas mensagens de autoajuda, que dizem o que eu faço ou não.
Cansada dessas mensagens, querendo dizer o que eu devo sentir ou não. 

Eu sinto milhões de sentimentos e sensações dentro de mim, como se existisse duas metades de mim: a que quer estar contigo e a que sabe que você foi embora. 

Às vezes, eu me sinto despedaçada em milhões de pedaços, no chão. 
Dentro de mim existe pedaços que não te esquece. 
Existe metades que ficam remoendo mensagens e lembranças. 
Metade de mim que te ama, se importa, te adora e sente a sua falta. 
Pedaços de mim que sabe que eu preciso ir embora. 
Pedaços de mim que doem, por sentir a saudade. 

Eu não vou negar, sabe porquê? 
Porque eu não estou fingindo como você. 

Eu não finjo que eu não me importo. 
Porque sim, eu me importo. 
Eu não finjo que não sinto saudades. 
Porque sim, eu sinto a sua falta. 
Eu não finjo que esqueci, porque eu não esqueci, mas e você, esqueceu? 

Pode negar, diga tudo que quiser, me ataque, mande indiretas, pense o que quiser, mas ficar negando me deixa sobrecarregada, você não?
Eu não mereço me sentir assim, muito menos você. 

Porra, não adianta debater, você se esqueceu que eu sou escritora? 
Mas se quiser, debata à vontade, até se cansar, o que não me falta é criatividade pra escrever o que eu estou sentindo. 

Eu sou a capitã do meu navio, já percorri mares, 
eu nasci pra navegar, não pra me afundar no fundo do mar, por mas que a neblina cubra o céu e eu ainda veja você partir.

Eu nasci pra voar com as gaivotas, bater as minhas asas e tocar no céu. 
Eu sei que posso voar bem alto, tentar te esquecer nas nuvens, 
mas quando o vento dos céus me tocar, sempre irá trazer lembranças que eu nunca poderei esquecer. 

Me diga, até quando o que acabou, vai continuar durando dentro de mim? Dentro de nós? Não adianta fingir, eu sei que você sente, tanto quanto eu.
Eu sei que sente, o seu cérebro é tão inquieto, quanto o seu coração. 

Eu não a culpo. Eu a desculpo. 
Digo obrigada. 
Digo até logo, quem sabe você esteja em casa, com som ligado escutando Tyga. 

Estamos presos dentro do triângulo das bermudas. 
Ao som de Racionais e Djonga, ele termina de bolar o baseado, continuamos sem você e fazendo fumaça pra todo lado. 
Mesmo assim, obrigado, você me lembrou a ter paciência pra lidar com a dor, mesmo que tenha me relembrado da pior maneira. 

Eu não a culpo, foi eu que criei expectativas demais, mesmo deixando claro que eu não esperava nada de você. 
Mentira… Eu lhe disse a única coisa que eu esperava, você se lembra? 
Eu esperava que você permanecesse na minha vida, que nunca deixasse de ser a minha melhor amiga. 

Eu não a culpo. 
Aliás, me desculpe se pedi muito pra você. 
Se tudo isso era o que você queria, então, eu estou feliz por você. 

Eu achava que as suas desculpas, poderiam me curar.
Mas agora, é tarde demais pra se desculpar,  
a dor já não é a mesma, do dia que você se foi. 
Agora só o tempo pode nos curar. 

Você era unicórnio mais raro, você sagitariana, eu capricorniana, tínhamos o nosso ascendente em aries, juntas explodíamos tudo pelos ares. 
Parecíamos duas personagens estouradas e confusas, presas dentro de uma comédia romântica, ou seria uma novela? 

Você foi a pessoa mais difícil de ver ir embora. 
Você foi o meu pior e o meu melhor.  
Você foi meu pior e melhor exemplo de amor.
Você foi meu mais difícil exemplo de Eu, tu e Ela. 
Eu achava que você era Ela, do nosso Eu, tu e Ela, mas parece que eu me enganei, não é?
Eu sei, essa resposta só quem pode me dar é você.

Autora: Milena Alves (Mila)


Eu disse pra vocês, que iria trazer mais textinhos, o que eu quero dizer com todas essas palavras e sentimentos? É que tudo depende do tempo, ao mesmo tempo ele passa depressa e ele também passa tão devagar, é exatamente por isso que nunca podemos deixar de amar, nunca negue os seus sentimentos, diga que ama. Sim, amores podem te decepcionar, mas tem amores que podem te surpreender, não deixa o medo, deixar você perder de ser surpreendido pelo amor.

Obrigada por todo o carinho, todas as visualizações e curtidas nas publicações, sou muito grata por ter vocês aqui comigo.

Beijinhos da Mila!
Gratidão!

2 comentários em “Eu não sei você, mas eu não vou negar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s