Acidente de Amor – Capítulo 12 – Série Os Freitas – Volume 2

Capítulo 12

Leticia

Custou ficar lá, sentada, enquanto aquela mulher me culpava pelos erros do filho dela, quando ela me bateu o sangue subiu, mas se eu reagisse ali com violência eu seria ainda mais punida, Ramirez estava ao meu lado e segurou meu ombro e fazendo-me ficar sentada. A parte boa é que eu não iriei ficar presa, a parte ruim é que eu terei que fazer serviço comunitário, trabalhar e ainda pagar aquela bendita multa, isso sem falar naquele cara em cima de mim, querendo bancar o bom samaritano, como se eu fosse acreditar mesmo nele. Não o convidei para subir, também não faz sentido, ele não é nada meu, subo as escadas e entro no pequeno apartamento que era de Philip, que agora será meu, não tenho onde ficar a não ser que não seja aqui. No outro dia, acordei cedo e fui para o café. Entrei no estabelecimento e lá está ele no mesmo lugar, mexendo em seu notebook. Pensei. Mas esse cara já está aqui de novo? Vou para a cozinha e coloco meu avental, Mack sorri para mim e diz:

– E menina, como você está? – Bom eu estou mal, mas não posso deixar isso me abater, respondo rindo:

– Bom, 500 horas de serviço comunitário e uma multa de mil duzentos e cinquenta dólares – Ele faz uma careta e sorri e balança a cabeça. Saio pela porta e dou de cara com Alex, que me olha com certo desdém e fala:

– Pois é, eu avisei – O ódio me subiu e eu não suportei mais e gritei:

– Por que você não cuida dessa sua vida de merda e para de se intrometer na minha vida. Está feliz agora que ele morreu? Espero que você um dia se lasque, e pare de me infernizar – Todos ao redor nos olhavam, e eu chorava de raiva, eu simplesmente arranquei o avental que eu havia acabado de colocar e o jogo em cima dele, saio de lá pisando duro sem olhar para trás, nisso sinti uma mão no meu braço esquerdo me segurando, apenas viro minha mão direita em seu rosto sem ver quem era, estava com tanta raiva que só alguns segundos depois notei que era Arthur, ele estava com a mão no rosto onde eu havia acabado de bater e que estava rosado, eu falei:

– O que você quer agora? – Ele dá um leve sorriso sem graça e diz:

– Desculpe, não queria deixar você sozinha. Notei que você ficou um tanto quanto alterada – Eu reviro os olhos e arqueio a sobrancelha, ele me olha de um jeito tão profundo e inocente, que minha raiva diminui, ele sorri com aqueles dentes perfeitinhos, e involuntariamente dou um pequeno sorriso e digo:

– Está bem – Ele então fala:

– Quer dar uma volta? Conversar um pouco, espairecer as ideias – Eu penso um pouco, eu gosto muito de trabalhar com o Mack, mas eu não vou voltar para aquele lugar, eu assinto e começamos a caminhar em silencio, eu começo sem jeito:
– Como está o braço? – Ele dá uma olhada em seu braço engessado e fala sorrindo:
– Está bem melhor, estou com dó do carro – Ele sorri alto e eu penso comigo, como um cara consegue manter o bom humor diante de tudo isso, de todos os problemas que eu causei, fico em silencio e então eu respondo:

– Desculpe por tudo, eu irei pagar pelo conserto, só terá que esperar um pouco, já que eu acabei de pedir demissão – Dou um sorriso sem jeito e levanto as mãos em rendição, ele fala meio sério:

– Não precisa, eu vou pagar, também fui errado na história, estava falando com minha mãe pelo celular, estava atrasado também, a culpa não foi totalmente sua.