FANFIC: Como Funciona, O que é, Como Fazer. (Part.2)

Oi pessoal, tudo bem com vocês? No post de hoje vou continuar a falar sobre como fazer fanfic’s e histórias em geral. Espero que gostem.

Pra quem ainda não leu o post anterior eu vou deixar o link aqui em baixo.
Part.1: FANFIC: Como Funciona, O que é, Como Fazer.

Nenhuma pessoa muda da noite para o dia, nem mesmo em livros — só por milagres mesmo ou em livros de fantasia, mistério e terror. Mas aí já é outro caso. —, então você deve tomar muito cuidado e fazer essa mudança durante o livro, em cada capítulo uma pequena coisa muda, não logo de cara.

Outra coisa muito errada é quando o personagem começa e termina do mesmo jeito. Isso não deve acontecer porquê tudo o que ele/ela passou durante a história não vai fazer sentido. Ele precisa mudar, e para fazer as mudanças dele de uma forma correta entra a ficha (de novo).

Eu estou frisando a mesma coisa sobre mudança por ter lido várias histórias onde o autor errava nas duas coisas. Eu quando fui começar a escrever, sendo ansiosa já queria mostrar a mudança no mesmo capítulo.

E essas dicas também valem para o antagonista ( Vilão, amo demais), porquê vai ajudar a mostrar se ele vai terminar arrependido ou pior e com desejo de vingança.
PLANEJANDO:

Roteiro:

Acho que o roteiro é uma das minhas partes favoritas além de fazer a ficha, porquê é nele onde você molda a história, é nele onde você sabe o que vai acontecer no capítulo, onde apenas você sabe o que cada um vai fazer, estar, falar com quem. O roteiro vai te ajudar a não fugir do curso da história, o que é muito legal.

No roteiro você vai basicamente colocar o espaço onde os personagens vão estar, com quem vão falar, e coisas desse tipo. Um resumo pequeno, simples, onde você só vai colocar os pontos principais.

ESCREVENDO:

Narração:

Há três tipos de narração, começando com o narrador onisciente. O narrador onisciente é como se fosse um deus, ele sabe tudo sobre os personagens, como eles estão se sentindo, o que estão pensando e até mesmo os segredos. Mas geralmente ele não fala os segredos dos personagens, mas insinua isso.

O narrador onipresente é que está em todos o lugares, geralmente também é o narrador onisciente ao mesmo tempo. Esse tipo de narração é muito bem vinda em mistério, suspense, terror ou coisas parecidas.

Narrador personagem, como o próprio nome já diz é o próprio personagem que narra. Sendo assim, nós leitores sabemos tudo sobre esse personagem, o que pensa, sente, como vai agir e etc, mas apenas sobre ele nós sabemos, sobre os outros não. Só se ele tiver algum tipo de poder psíquico, mas é um caso a parte.

Narrador observador: esse narrador não vai interferir na história, ele vai apenas narrar os fatos. Não precisa ser necessariamente um personagem da história narrando. No meu ponto de vista é um dos tipos de narração mais difícil.

Sabendo isso, e se você nunca escreveu antes, teste os três tipos de narração pra saber qual você se sente mais confortável. No começo vai parecer difícil, mas depois vai fluir naturalmente.

• Começo:

O primeiro capitulo é sempre o mais difícil de se fazer, porque é nele onde você vai chamar a atenção do leitor, principalmente a primeira frase. A primeira frase é a que fica, é onde você pensa ” nossa, meu Deus” ou algo do tipo. Eu gosto de fazer as minhas primeiras frases com o pensamento do personagem, por exemplo:

“O ódio me corrói intensamente.”

É uma frase de efeito, onde você vai pensar “porquê, como, o que te levou a sentir isso”, entendeu? Não se preocupe se demorar demais para fazer a primeira frase, realmente é mais difícil já que exige uma certa concentração.

Depois de fazer a sua frase, comece a moldar a sua ideia como uma massa de modelar. Pegue o roteiro, se preciso a ficha dos personagens e manda bala.

Só pra ajudar mais um pouquinho, fica aí uma base para vocês quando forem escrever. Não precisa usar isso todo o capítulo, mas ajuda um pouco.

Elementos básicos do texto narrativo:

1. FATO (o que se vai narrar)
2. TEMPO (quando o fato ocorreu)
3. LUGAR (onde o fato se deu)
4. PERSONAGENS (quem participou do ocorrido ou o observou)
5. CAUSA (motivo que determinou a ocorrência)
6. MODO (como se deu o fato)
7. CONSEQÜÊNCIAS.

Normas brasileiras/ Erros ortográficos:

O.k. Para você escrever um livro deve seguir as normas brasileiras, onde vai escrever corretamente usando a pontuação, palavras, e essas coisas que lemos todo o santo dia. É super fácil seguir essa norma porquê nós já a seguimos no dia à dia, mas vou falar algumas coisinhas pra vocês lembrarem e não errar.

Vocês já sabem como usar o ponto e a vírgula, mas é importante falar que a vírgula e o ponto não deve ser colocada entre um espaço das duas palavras. Como assim? Exemplo: ela parou , olhou , sorriu . Entenderam? Eu falo isso por ter lido diversas vezes histórias com esse erro.

Na norma brasileira se usa o travessão ( — ) para fazer o diálogo dos personagens. Na Inglaterra e nos Estados Unidos se usa as aspas, mas nós sendo brasileiros devemos usar o travessão. Eu até acho mais fácil para entender quem está falando o quê.

Fique atento(a) com os erros ortográficos. Há vários sites que podem te ajudar a não errar, ou até mesmo o dicionário. Sério. Mas também não coloque muitas palavras difíceis que faça com que o leitor ande com um dicionário e sempre tenha que parar para pesquisar o que significa determinada coisa.

Falamos a verdade, quem fala obséquio, ou palavras dessa forma em um diálogo normal? Ainda mais em um diálogo de adolescentes? Você pode usar palavras corriqueiras, que falamos todos os dias (principalmente com adolescentes), para que fique mais natural possível, até porquê os diálogos devem sair naturais.

Antes de postar o capítulo é essencial você revisá-lo. Parece um pouco chato, e de fato é um pouco, mas o seu livro vai crescer mais se não tiver erros.

Obrigada a todos que estão lendo, comentando e votando. Muitas vezes eu não consigo responder os comentários por falta de tempo mas eu sempre os vejo e vocês não sabem o tamanho do meu sorriso.

Esse post ainda não acabou, e eu espero ter ajudado até aqui. Comente as suas dúvidas que eu vou tentar ao máximo responder.

Mande a sua fanfic, história, poesia, desabafo ou crítica pelo nosso e-mail: adolescênciadelua@gmail.com

Com todo o amor, Giovanna Teodorico.

FANFIC: como funciona, o que é, como fazer.

image

Olá meninos e meninas, tudo bem com vocês? Nesse novo post vou explicar o que é uma fanfic, como funciona e como escrever.

O Que é uma Fanfic?

Fanfic consiste em um livro, curto, longo, ou contos, onde o autor reúne uma ou mais pessoas famosas ou já criadas por alguém, fazendo a sua própria história. Geralmente as fanfics com personagens já criados são famosos, onde quase todo o mundo o conhece.

As fics podem ter vários capítulos, sendo assim uma história completa, como um livro normal ( como a FANFIC: Vingadores – filha de Tony Stark.) Ou podem ter apenas alguns capítulos, com eles sendo curtos, ai nesse caso são chamados de ” short fic”.

Quantos Personagens Famosos Podem Ter?

O máximo que a imaginação do autor permitir. Alguns tem apenas um, mas geralmente são vários. Eu mesma estou (re)escrevendo uma fanfic dos Vingadores, e nele tem vários personagens famosos.

Um termo bastante usado é “crossover”. O que é isso? Crossover é uma fanfic onde tem personagens de dois mundos diferentes, por exemplo: ” Vingadores e Liga da Justiça.” ou ” Arctic Monkeys e The Neighborhood”. São bastante lidas, ainda mais quando o autor consegue colocar essa dualidade de mundos juntas e fazer com que dê certo, sem esquecer a personalidade e características de ambos.

Na minha opinião, eu acho mais difícil escrever um crossover do que uma fanfic, mas para outras pessoas é mais fácil.

E ai, alguma vez já escreveram ou tentaram escrever uma fanfic? Qual delas acha mais fácil, fanfic ou crossover? Qual fanfic ou crossover gostaria de ler ou escrever?

O Que Precisa para Fazer Uma Fanfic?

Uma história ou ideia:

É fundamental você ter isso em mente, já que elas vão determinar o curso da fanfic, como ela vai mudar. Por exemplo: tive uma ideia de uma história de romance, onde a mocinha se encontra com o mocinho em uma padaria e no final eles ficam juntos. Isso é uma ideia, uma história que só se passa na sua cabeça, e uma das coisas que você precisa fazer é colocar essa história no papel, ir lapidando o diamante.

Coloque do jeito que preferir e entender no papel, como: tópicos, roteiro, descrição. Enfim, faça da forma que entender e achar mais fácil.

Bom, esse post vai ser dividido em duas partes pra não ficar muito grande. Esse post é apenas o que eu sei, tipo, nada profissional e é para ajudar vocês.

Mande a sua fanfic, desabafo, crítica e outras coisas para o nosso e-mail adolescênciadelua@gmail.com.

Com amor, Giovanna Teodorico.