Conto Erótico: Me descobri Bissexual.(Part.5)

Hoje é continuação do Conto Erótico: Me descobri Bissexual.
Pra quem ainda não leu, eu vou deixar aqui em baixo a parte até a parte 4, é só clicar no nome e abre direto pra uma nova guia.

Part. 1: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.
Part. 2: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.
Part. 3: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.
Part. 4: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.

Isso é um conto fictício, lésbico e erótico! Então não é aconselhável para menores de 16 anos.

Boa Leitura!

Conto Erótico: Me descobri Bissexual
Part. 5

Eu não conseguia parar de pensar no segredo da Júlia, foi muita informação pra minha cabeça. Depois da aula ela nem falou comigo direito, só me disse que iria direto pra casa porque tinha que desmarcar a festa toda, pediu pra eu ir direto pra casa dela, queria que eu dormisse lá, eu disse que sim, não podia deixar ela sozinha, eu também estava curiosa em sobre esse segredo da Júlia escondia, será que ela esconde mais alguma coisa?

Eu não paro de pensar, fico andando pelo meu quarto pra lá e pra cá, a hora não passa, quero ver a Júlia logo, senti uma dor no meu coração, alguma coisa estava errada, provavelmente seria o fim do nosso relacionamento. Claro, eu sei que não estamos em um relacionamento, ela ainda tem uma namorada o que deixa mais complicado ainda.

Eu nunca achei que iria me relacionar com uma menina, muito menos com uma menina comprometida. Depois de conseguir ouvir a conversa delas, eu percebi que a vida da Júlia, era bem mais complicado do que eu imaginava. Eu sempre tive uma vida estável, meus pais se dão muito bem, não tenho do que reclamar sobre a minha vida financeira, mas eu não consigo imaginar meus pais separados, não faço ideia de como é ter pais separados, mas com certeza não é muito bom.

Será que os pais dela, não aceitam o fato dela gostar de mulher ou será que eles aceitam? Meus pais com certeza, seria do time contra. Meu Deus! Chega! Não vou encher minha cabeça.

Sabe o que eu deveria fazer? Eu deveria transar com Júlia e o Lorenzo bem gostoso, esse final de semana vai ser sem os meus pais, eles foram pra uma pousada ter um final de semana romântico, mal sabem eles que também vou ter um fim de semana bem romântico, com uma dose de loucura, esse fim de semana eu vou fazer tudo que me der vontade!

Tudo tinha que ser perfeito, então mandei uma mensagem pra Júlia e pro Lorenzo, avisando que meus pais foram viajar e só vai voltar no domingo a tarde, disse também, que eu gostaria que eles ficassem o fim de semana comigo.

Eu fui correndo no meu guarda roupa, comecei a procurar uma roupa bem sexy. Eu tinha que ficar bem gostosa pra eles dois, afinal, eu não sei o que vai acontecer depois de hoje, mas coisa boa não vai ser.

Joguei varias roupas em cima da cama, depois fui correndo na cozinha lavar e guardar a louça, limpei a pia, fui correndo na lavanderia e peguei o aspirador de pó, eu tinha que limpar tudo, antes deles chegarem, olhei pra cozinha brilhando, fiz um bom trabalho.

Depois eu fui na geladeira peguei uns morangos e coloquei de molho na água, eu amo morango, ainda bem que tinha bastante, fui na sala, abri o armário do meu pai, peguei o um champanhe, ele nem vai sentir falta, depois é só ir no quintal dos fundos e colocar outra garrafa, ele vai achar que a minha mãe mexeu em tudo, pra combina com a decoração nova.

Eu voltei pro meu quarto, fiquei olhando para aquelas roupas na cama, guardei dois vestidos vermelhos, resolvi colocar esse vestido de moletom, bem curtinho, com essas meias pretas, com listras brancas, eu estava com frio, mas também ficou muito sexy.

Entrei no chuveiro, tomei um banho bem quente, passei meu sabonete líquido favorito, depois meu óleo preferido, que é bem cheiroso no corpo, lavei meu cabelo e sai do chuveiro. Fui me secando ate o quarto, enrolei a toalha na cabeça, fui no guarda roupa, peguei outra toalha pra terminar de me secar, sentei na cama e peguei meu celular.

Infelizmente a Júlia não tinha visualizado a mensagem, mas o Lorenzo, disse que ia tomar um banho e estava a caminho. Provavelmente, ele já deve estar chegando.

Eu espero que ele demore só mais um pouquinho, eu ainda não terminei de me produzir, coloquei a minha roupa, fiquei me olhando no espelho, como eu estava gostosa, abri a penteadeira, peguei meu perfume favorito, peguei um pente e comecei a pentear meu cabelo. Meu celular começou vibrar sem parar, só podia ser a Júlia.

Mensagem:
Júlia: Oi meu amor, eu consegui desmarcar a minha festa de aniversário. Se arruma, fica mais linda ainda, que eu estou indo pra sua casa, mas antes eu preciso comprar umas coisinha, pra nossa diversão. Então, quer dizer que você também chamou o Lorenzo? Vamos você do que ele não capaz?

Eu abri um sorriso enorme com essa mensagem.

Sai correndo pra terminar de arrumar o meu quarto, fui na cozinha e olhei o pudim que estava na geladeira, estava do jeitinho que eu deixei, eu amo pudim, já sabia o que ia dar pra eles comer, além de mim é claro. Quando eu fecho a geladeira a campainha toca.. Meu Deus! Quem será? A Júlia ou Lorenzo? Eu não sei por qual dos dois meu coração batia mais forte, só queria eles comigo e que essa noite fosse perfeita.

Eu fui andando até o portão, respirei fundo e abri… Era o Lorenzo, fiquei super nervosa, eu virei o rosto, passei a mão no cabelo, dei um passo pra trás e ele entrou.

_”Ufa, achei que ia me deixar aqui fora!”

_”Até parece, pode ir entrando. A Júlia ainda não chegou…”

“Nossa, você está muito gostosa.” – É engraçado, ver o Lorenzo me chamando assim, ele costuma sempre me elogiar com: linda, perfeita… Eu gostei mais do gostosa, ele podia me chamar assim todos os dias, que eu iria amar.

_”Bom, eu já passei pelo portão da sua casa, pelo quintal, agora não é a hora que você me convida pra entrar?” – Enquanto ele me falava isso, ele mordia os lábios e se encostou no batente da porta, eu viajei nos seus músculos e nos seus lábios.

_”Desculpa, pode entrar… Quer um copo de água?” – Meu Jesus! Se bem que essa expressão não esta sendo usada numa boa hora, mas o que eu quero dizer é que eu estou muito nervosa, o que eu fui fazer… Será que da tempo de mudar de ideia?

_”Não obrigada, mas aceito um beijo seu… – Antes dele finalizar a frase, ele já tinha me puxado pela cintura e me beijou, como os lábios deles são macios, que beijos ofegante e gostoso, ele estava sedento de desejo e eu estava louca pra realizar todos.

Em questão de segundos, eu sai o empurrando até a cozinha. Ele me pegou no colo e me jogou com tudo em cima da mesa, veio subindo em cima de mim, começou a me acariciar por todo o corpo com as suas mãos fortes, só de sentir e pensar eu fico excitada, a Júlia vem na minha cabeça e eu dou um sorriso e começo a beijar ele mais e mais. Ele enfia as suas mãos entre as minhas pernas, eu nem espero e já abro mais as pernas, ele encaixa as suas pernas entre as minhas e fica em cima de mim, eu fico imóvel e sendo totalmente controlada por ele.

Eu coloquei o meu rosto em seu pescoço e disse: _”Eu quero mais, me deixa mais molhada…” – Ele sorriu, mordeu os lábios e colocou as mãos novamente de baixo do meu vestido e puxou a minha calcinha, ela quase rasgou. Bem que eu queria que rasgasse, eu adoro uma agressividade.
Ele parou de me beijar, olhou pra mim e deu o sorriso mais lindo que eu já vi, era um sorriso no canto da boca, cheio de malicia, eu nunca tinha visto ele sorrir assim. Ele abriu as minhas pernas, deu outro sorriso de lado, ficou me olhando e enfiou os seus dedos na minha buceta. Ele mal tinha colado os dedos, eu já estava toda molhada e delirando de desejo, eu queria mais e pedi mais…

_”Eu quero mais, coloca dois dedos, três… Bate em mim, eu gosto.”
_”Bruna, você me deixa louco quando começa a falar desse jeito comigo, Então. você quer mais?”

Ele deu uma risada maliciosa e enfiou mais dois dedos e deu um tapa na minha cara, eu enlouqueci e mordia os meus lábios com força, até sentir o sangue. Ele tirou os dedos da minha buceta e colocou na minha boca pra eu chupar e morder.. Não é por nada não, mas o meu gozo é uma delicia, acho que até você que está lendo também deveria experimentar…

Não se contentando com isso. Lorenzo, deu uma mordida no meu ombro e me puxou de uma vez pelas pernas me colocando de bunda pra cima, enquanto me prendia ainda mais em cima da mesa, ele sorriu maliciosamente para mim e deixou uma trilha de saliva do vale dos meus seios até o início das minhas perna, passou primeiro a língua pelo meu umbigo e volto pras minhas coxas dando leves mordidinhas em ambas, antes de soprar seu hálito quente no meu clitóris, descendo a língua em um movimento único para baixo.

Arquiei o meu corpo, quando a língua dele tocou minha pele sensível, o seu objetivo era me fazer dar tudo que eu tinha de mim, ele puxou ainda mais o meu corpo contra sua boca e caiu de língua no sentido literal, ele começou com os movimentos circulares e depois sugava, estabelecendo um ritmo.

Descer. Girar a língua. Descer. Sugar o clitóris, enquanto apertava os meus seios.

Após isso ele de uma mordidinha de leve no meu clítoris, puxando um pouco, ficou me penetrando com mais dois dedos, indo o mais fundo que dava. Ele aumentava a velocidade da sua boca, eu sentia o meu corpo contraindo, ele me sentia se contorcer de prazer, ele sobia mais ainda a sua língua e isso foi o estopim pra mim. Ele ficava olhando para os meus olhos e para os meus seios, ele passou a mão sobre minha própria ereção antes de me apertar entre suas pernas, eu comecei a derramar o meu gozo em sua boca, ele lambia a minha buceta com uma sede, ele estava cheio de  vontade e ele sugava o meu gozo sem deixar cair nenhuma gota.

Ele para de me chupar e me olha, sobe em cima de mim, da um sorriso de canto e morde o seus lábios e surra no meu ouvido:

_”Parece, que sou um aluno nota dez!” – Ele morde os lábios de novo.

Eu sinto o meu corpo a arrepiar, eu mordo os meus lábios e dou um sorriso, antes que eu pudesse levantar, ele me faz cair aos seus braços de novo. Ele ainda continua em cima de mim, eu sinto um calor imenso, ele desce a sua mãos pelo o meu corpo e começou a passar os seus dedos sobre o meu abdome, desceu o rosto em direção ao meu rosto e eu pensando que iria lhe iria dar um beijo na minha boca, ela passou direto para o meu ouvido, passando a sua língua de leve pelo lóbulo, dando uma pequena mordidinha na ponta.

Ele volta a olhar nos meus olhos e sorri de canto, eu fico mais excitada e digo:

_ “Você acha, que eu sou uma boa garota?”

_ Será? Porque eu acho que nessa matéria você não vai tirar dez.

_ “Posso garantir que sou bem mais do que uma simples aluna, professor.”

Eu o empurrei , pra que saísse de cima de mim, mordia os meus lábios e dei um leve sorriso, passei a mão pelo seu corpo, coloquei o meu rosto bem perto do seu e comecei a passar a mão em seu corpo, fui descendo a mão até às sua calças e subi arrancando sua camiseta.

Depois eu fui passando a minha mão até a sua calça, fui passando a mão levemente e me abaixei e tirei as sua calças e depois coloquei a minha boca em sua cueca e fui mordendo, eu parei e olhei pra ele, sorri de lado e arranquei a sua cueca e dei um leve mordida no lábio.

Ele não parava de morder os seus lábios, sem tocar na sua pele, eu lambi os lábios enquanto descia meu rosto em direção a sua ereção.
Eu sorri e pensei: Eu vou da o melhor boquete que ele já teve.

Eu passei a língua devagar na sua virilha, antes de olhar para o seu pênis, os meus olhos não caíram para a glande rosada quase batendo na minha cara e sim a tatuagem de um escorpião, eu fiquei com uma água na boca, e minha vontade era de morder, mas me forcei a sair do devaneio e passei a língua pela base, rodeando a cabecinha e cobrindo a extensão com minha boca.

Descer. Subir. Sugar. Lamber. Chupar.

E algum momento ele puxou meu cabelo, aumentando o ritmo. Enquanto, fodia minha boca, me fazendo ter um quase orgasmo, antes que eu pudesse pensar, ele tinha me pegado no colo, me jogado na mesa e estava dentro de mim, estocando com força.

As vezes fazendo movimentos mais lentos, antes de  ir mais rápido, ele parou e me virou  de quatro em cima da mesa, puxando meu cabelo todo pra trás de modo que eu ficasse toda exposta e empinada e me invadiu sem aviso prévio, me estocando devagar de um jeito doloroso e gostoso, pois eu queria que ele aumentasse o ritmo mais não, ele apenas deu uma mordida gostosa, no meu ombro e começou a aumentar o ritmo.

A campainha tocou no exato momento em que ele gozava dentro de mim, e a voz da Júlia chegou aos nossos ouvidos, ele retirou a sua ereção dentro de mim enquanto eu corria para tomar um banho. Eu estava suada de tanto foder.

_ “Lorenzo, enrola ela, enquanto eu tomo banho.” – Ele não me respondeu, apenas vestia a calça de um modo desajeitado e corria em direção a porta.

Eu peguei as minhas roupas chão e corri pro banheiro, fechei a porta e liguei o chuveiro. Eu espero que ele não fique com a roupa toda bagunçada.

Eu não estava acreditando que tinha acabado de transar com o Lorenzo, a gente nunca transou tão intenso como hoje, antes eu achava que estava enjoada de transar com ele ou que era mesmo sapata, mas acho que não… Hoje ele me levou a loucura, foi surpreendente.
Eu acho que alguém andou aprendendo, antes que pensem que eu sou uma corna. Quero deixar claro que nunca namoramos, nunca fui conhecer os pais dele e nem ele os meus, somos apenas amigos que transam, assim é mais fácil e eu não tenho que lidar com um coração partido, mas também namorar um cara não ia dar certo, eu acabei de descobrir que gosto de ficar com meninas, mas entre o Lorenzo e a Júlia eu jamais vou poder decidir.

Enquanto eu escorria a água pelo meu corpo, eu ouvia a voz da Júlia perguntando onde eu estava.

Eu desliguei o chuveiro, coloquei a toalha e sai do banheiro.

Meu Deus! Como o Lorenzo é burro, a cozinha tá toda bagunçada, é obvio que ela vai perceber que nos transamos.

A Júlia ficou nos encarando.

_”Então, quer dizer que vocês começaram a brincadeira sem mim? Eu espero que tenha espaço pra mais uma… Hora da diversão!

(Continua…)


Olá minhas Luas, eu sei, do nada aparece a continuação do conto erótico, eu devo várias explicações pra vocês, mas quero fazer um post só pra explicar o que aconteceu, o que não é pouca coisa… Mas, hoje é um dia lindo, tá um dia ensolarado, é dia de notícias bons.

Eu quero dizer, que toda quinta-feira, irá sair uma continuação do conto. Eu preciso dizer que o Conto Erótico: Me descobri bissexual, já está chegando no seus capítulos finais, mas não fiquem chateados, já tem conto erótico vindo por aí.

De novo, eu preciso agradecer todos os comentários, o carinho de você por mim, pelas meninas e pelo blog. Vocês são incríveis, nunca esqueça disso.

Beijinhos da Mila!

Gratidão

Conto Erótico: Me descobri Bissexual. (Cont.) – Part. 4

Hoje é continuação do Conto Erótico: Me descobri Bissexual. Na verdade a Part. 4 do conto.
Pra quem ainda não leu, eu vou deixar aqui em baixo a parte até a parte 3, é só clicar no nome e abre direto pra uma nova guia.

Part. 1: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.
Part. 2: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.
Part. 3: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.

Isso é um conto fictício, lésbico e erótico! Então não é aconselhável para menores de 16 anos.

Boa Leitura!


Eu não consegui acreditar que hoje era sexta-feira, fazia 4 dias que tinha ficado com a Júlia e com o Lorenzo.

Eu não estava aguentando ansiedade, eu não sabia nem como agir na frente dos dois.

Quando eu estou esperando o sinal ficar verde pra eu atravessar, eu vejo Lorenzo e Julia conversando, batendo o maior papo, desde quando eles são amigos? Será que eles estão falando de mim? Eles me viram e subiram a escada.

Quando eu atravessei, eles estavam lá dentro, sentado na escada me esperando, eu fiquei sem entender. Eu fiquei olhando pra eles sem dizer nenhuma palavra.

_”Ué, o gato comeu sua língua?”

Pior que a Júlia tinha razão, eu não conseguia nem falar.

_”Imagina, o que vocês estão fazendo sentado não chão da escada?”

_”Esperando você… Eu estava aqui conversam com o Lorenzo. Meu pais vão viajar hoje a noite, só volta na segunda-feira, então, eu resolvi que vou dar uma festinha sábado e vocês dois estão convidados.”

O Lorenzo deu risada, disse que já tinha confirmado presença, que só faltava eu confirmar a minha presença. Eu não sei se era uma boa ideia, mas sair um pouco, beber, dançar, até que não é uma má ideia.

_”Bruna, só um detalhe: Eu não aceito não como resposta, entendeu?”

_”Eu entendi, por isso eu vou ir.” – Eu dei uma piscadinha pra ela, abaixei até ela e dei um selinho nela, virei pro Lorenzo e deinum selinho nele e subi as escadas pra minha sala.

Olha, eu entrei dentro da sala sorrindo. Pra minha sorte a professora não estava na minha sala, só uma garota na frente da lousa desenhando um borboleta, nem percebeu eu entrar na sala, mas assim que a Júlia entrou na sala, ela se virou, as duas ficaram se encarando, eu não estava entendendo nada.

_”O que você está fazendo aqui?” – Enquanto dizia isso, ela fechou os braços.

_”Sério? Júlia, pode parar de bancar a difícil, você me deve explicações, porque você foi morar com seu pai e a sua madrasta. Você nem se despediu!”

Eu fiquei de boca aberta, a Júlia não era tão sincera assim, ela me disse que seus pais estavam juntos e que se mudou pra cá, por causa do trabalho do pai dela, eu não acredito que ela mentiu pra mim.

_”Eu não lhe devo satisfações!”

_”Júlia, você me deve explicação, nós namoramos a 1 e 3 meses, isso não te significou nada? Sua mãe sofrendo está sem você. Seu aniversário é esse fim de semana, vai fazer outra festa maluca? Nem se quer convidou seus amigos…”

Júlia fecha a cara, não fala nada e puxa a garota pelo o braço e sai pra fora, bate a porta e grita com ela:

“Você tem que parar de controlar a minha vida.”

_”Você não entende, não pode sair da vida das pessoas assim! Você deixou sua mãe, deixou o Miguel e me deixou, sem nenhuma explicação.”

_”Isa, pelo amor, você sabe muito bem os motivos, você quer que eu lhe explique?”

Pela voz das duas elas estavam bem nervosas.

_”Eu não vou discutir isso aqui com você. Isa, eu vou te levar até lá em baixo e marcamos de conversar mais tarde.”

Depois disso, a voz vai sumindo… Acho que as duas foram para o banheiro. Eu não acredito que a Júlia tinha uma namorada, depois ela tinha um namorado, quem mais ela namorou, quem será esse tal de Miguel? Lorenzo ficou me encarando de boa aberta, não falamos nada até a professora e alguns alunos entrar na sala.

Hoje eu resolvi sentar no fundo, não estava muito afim de ficar na frente, onde todo mundo podia observar o que estou fazendo.

Quando a professora vai fechar a porta, Júlia segura e entra, vem direito pro fundo e senta na mesa do lado da minha.

Hoje essa aula vai ser tensa e longa…

Eu tento disfarçar minha raiva durante a aula, mas começo a pensar, assim como aquela garota eu merecia uma explicação.

Eu levantei da mesa, puxei a Júlia e sai da sala com ela, a professora não disse nada.

Fomos até o banheiro, fechei a porta e comecei a olhar pra ela.

_”Júlia, acho que eu também mereço uma explicação, eu também espero, que você não tente me enrolar como tentou enrolar a sua ex, eu não sou ela, nós duas sabemos muito bem disso.”

_”Ficou brava, bom eu vou me explicar. Você não sabe nem metade da história. Eu me mudei pra cá por outros motivos, eu namorava o Marcelo, aquele meu ex namorado, que você sabia muito bem, ele não suportou a distância e transou com a minha melhor amiga que na verdade era a minha namorada, mas ninguém sabia. Eu não cheguei a terminar com ela, só não disse pra onde eu ia, mas acho que agora ela me descobriu. Olha eu sei que eu menti pra você, mas eu gosto de você, temos uma química perfeita, meu aniversário é sábado agora, desde do ano passado eu não sei o que é um aniversário de verdade. Você e o Lorenzo tem que ir lá em casa, eu até cancelei a festa. O que acha? Assim eu respondo todas as perguntas de vocês dois.

Ela ficou me olhando com aquele olhar conquistador dela, deu um sorrisinho lindo, eu acabei empurrando ela na parede e comecei a lhe beijar. Eu não resisti, por mim ela pode ter feito tudo que fez, isso não vai mudar o que eu sinto por ela, não quero ser precipitada, mas também não tem nada melhor do que sexo pra fugir de uma discussão de relacionamentos, dica do dia.

Ela foi recíproca é começou a me beijar, colocou a mão por baixo do meu vestido, eu enfiei a mão por baixo da sua blusinha. Ficamos nos beijando sem parar.

Ela parou de me beijar, pegou pelo meu braço e depois me colocou na parede e começou a beijar meu corpo até chegar lá em baixo.

Quando eu ia ergue a cabeça alguém bateu na porta, pergunta se tinha gente, eu disse que sim, depois Júlia e eu começamos a nos vestir.

_”Bruna, dorme lá em casa hoje? Vamos no cinema?”

_”Tá bom, você me convenceu.”

Eu não sei, mas eu precisava dela. Eu também queria saber mais coisas sobre ela, eu também não parava de pensar no possível ménage que poderia acontecer, não posso ser a culpada de atrapalhar as coisas.


O que será que vem depois? Esses três ainda vão aprontar muito.

Eu espero que tenham ficado curiosoas, deixe seu comentário.

Não deixe de acessar amanhã, haverá uma fanfic, digamos que ela é um pouco erótica também, haha!

Beijos da Mila!


Conto Erótico: Me descobri Bissexual. (Cont.) – Part. 3

Hoje é continuação do Conto Erótico: Me descobri Bissexual. Na verdade a Part.3, do conto.
Pra quem ainda não leu, eu vou deixar aqui em baixo a parte um e a parte dois, é só clicar no nome e abre direto pra uma nova guia.

Part. 1: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.
Part. 2: Conto Erótico: Me descobri Bissexual.

Essa continuação foi escrita por nós duas… Esperamos muito que gostem da continuação de hoje!

Isso é um conto fictício, lésbico e erótico! Então não é aconselhável para menores de 16 anos.

Boa Leitura!

Conto Erótico: Me Descobri Bissexual.
(Cont.) – Part.3

Só as palavras dela me deixou sem ar.
Ela começou beijando meu pescoço, ela tirou o meu sutiã, foi beijando a minha barriga, me causando arrepios em meu corpo até eu sentir um arrepio forte na minha calcinha, ela puxa minha calcinha, abre bem as minhas pernas e volta pra minha barriga e começar dar vários beijos até chegar nas minhas pernas de novo.
Ela para e me olha, da um sorriso, pisca pra mim e morde os lábios.

Cada carinho que ela fazia, eu desejava mais, eu não queria que ela parasse nunca, eu coloquei a minha mão no cabelo dela e ela ficou me olhando, era um olhar seduzente, eu não conseguia parar de gemer e olhar pra ela e ela não cansava de me provocar com aqueles olhares e com mais um sorriso, uma piscada e finalmente, a sua mania de morder os lábios.

Aquela piscada, me deixou sem ar, eu cheguei apertar os meus seios, o meu corpo inteiro estava arrepiado, eu nunca tinha feito sexo com uma menina, era intenso, tínhamos fogo, conexão, eu não sei explicar, eu gemia de prazer, eu gritava de paixão, até eu chegar nas maiores sensação da minha vida!

_”Gostou? Eu acredito que sim, não consegue nem respirar!” – Ela disse, vindo pra cima de mim, até deitar do meu lado, eu virei pra ela e ficamos nos olhando por um tempo.

Eu coloquei a mão no rosto dela, ela ficou sem graça, como ela era maluca e linda, isso me encantava, meu coração estava batendo sem parar.

_”O Lorenzo perdeu tudo isso, uma pena pra ele, você não acha?!”

_”Júlia, você é muito cara de pau, eu acho que ele nem viu a mensagem e muito menos vai topar uma coisa dessas!”

_”Bruna. acho que você não aprendeu, eu sempre consigo o que eu quero, olha você aqui, junto comigo…”

Ela ficou me olhando, deu um sorriso e veio me dar um beijo.

Quando eu acho que estava tudo perfeito o telefone toca.
Era a minha mãe, querendo saber o que eu estava com vontade de comer, eu disse que queria uma pizza, ainda me disse que vai passar na pizzaria e que logo ela já estava de volta. Eu desligo o celular e peço pra Júlia ir embora, antes dos meus pais chegarem.
Ela olha pra mim com aquele olhos lindos e se enrola no cobertor, me da um beijo no pescoço, faz um carinho, ela parece um gatinho que vai encaixando debaixo de mim, eu digo para ela, que está muito gostoso, que eu amaria queria ficar com ele a noite inteira, mas ela precisava ir embora, meus pais iriam chegar, seria um escândalo minha mãe me mataria ou nem ia saber como explicar pra ela.

_”Ok! Você ganhou, vou embora antes que a minha sogra chegue, mas na próxima você não escapa!”

_”Oi ? Sua sogra?”

Ela me olha com aquela carinha de safada, mordeu a lateral de seus lábios .
Ela começou a se vestir, eu fiquei olhando pra ela, como ela era branquela, diferente de mim, como ela era linda, o jeito de mexer no cabelo, ela colocando o sutiã, aquela bundinha sexy dela, ela me olha e passa a mão no cabelo.
Eu me levanto e coloco o roupão.

_”Vai ficar assim? Só de roupão, sem nada por dentro?”

_”Você quis dizer com calcinha? Não gosto de sentir nenhum ventinho aqui em baixo.”

Eu a levo até a porta, ela me dá outro beijo picante, eu sinto meu corpo inteiro desejando ela de novo, ela desce as escadinhas, rapidinho e vai embora, eu vejo quando ela atravessa a rua, então eu entro e fecho a porta.
Provavelmente, daqui uns 40 minutos a minha mãe tá chegando, ela sempre demora pra chegar em casa, eu achei melhor assim, eu preferia arrumar o meu quarto tirar esse cheiro de sexo do ar e tomar um banho antes dela chegar e não perceber nada.
Quando, estou indo em direção ao banheiro, a campainha toca, eu tinha certeza que não era a minha mãe e ela tem a chave de casa, então a Júlia só pode ter esquecido alguma coisa, ela acabou de sair, não faz nem cinco minutos.

_”Lorenzo, mas o que você está fazendo aqui?”

_”Você que me chamou, não lembra? Me diz que eu cheguei a tempo, a Júlia ainda está ai? Por favor, me diz que não fizeram nada sem mim, não consigo acreditar que eu perdi a chance ter vocês duas de uma vez só!”

_”Ixi, você chegou meio tarde, não acha? Você está uma hora atrasado, agora ela já veio e já foi.”

_”Eu não acredito que perdi isso, meu celular descarregou e eu estava sem carregador, eu não aguento mais esse celular, eu vivo sem bateria, mas você ainda está com gostinho dela, não está?”

Me passou uma loucura pela cabeça, eu estava bem molhada por causa do beijo da Júlia e o Lorenzo está bem ali, mas a minha mãe podia chegar.
Então, eu decidi fazer uma loucura, pra minha sorte, a minha casa tem um muro enorme em volta, a minha varanda ficava no fundo da casa, que também tinha a casa do caseiro.

Então, eu mandei o Lorenzo entrar e iríamos transar ali fora mesmo, só de pensar meu corpo já se arrepia todo, mas se a minha mãe chegar, da tempo dele dar a volta pela a casa do caseiro e meus pais vão achar que ele saiu da casa do caseiro e eu vou estar na minha cama assistindo televisão.

_”Você perdeu tudo, mas eu tenho um jeito de recompensar você, afinal eu ainda tenho o gosto da Júlia.

_”Bruna, o que você está pensando? Mas se os seus pais chegar?”

_”Ué, eu achei que você quisesse uma aventura? Olha, só me segue.”

Levei ele até a varanda dos fundo, tinham umas roupas penduradas e depois uma porta que dava para fora, que também tinha a casa do caseiro, mas isso era bem no fundo, não dava pra ver a gente, caso a minha mãe chegasse, dava tempo dele sair e ela nem iria escutar a gente, pelo menos eu acho, mas fazer o que, estava cheia de desejo.

Saímos lá pra fora, eu virei de costas, ele me empurrou na parede com força, do jeito que eu gostava, ele já sabia. Ele puxou meu roupão, desceu até embaixo, começou a beijar o meu calcanhar, foi subindo foi beijando a minha panturrilha, ele subiu e foi beijando a minha coxa, até que ele chegou na minha virilha, deu um beijo gostoso e demorado, aquilo foi o suficiente para arrepiar meu corpo inteiro.

_”Acredito, que agora eu vou sentir o gosto da Júlia.”

Foi ali, que ele começou a me chupar, ele me chupou como nunca tinha feito antes. Eu gemi alto, mas tão alto, que eu percebi, que ele e a Júlia estavam fazendo uma competição, infelizmente eu não saberia dizer quem é o vencedor.

Ele se deita no chão e manda agachar na cara dele, volta a me chupar. Ficou mais gostoso que antes, que eu gozei na boca dele, eu fiquei bamba, tive que levantar pra recuperar o ar.

_”Agora é a minha vez.”

Ele encosta na parede, olho pra ele com cara de safada, ele tenta me beijar, eu não deixo, baixo as calças dele, pego firme em seu pau, olho pra ele, dou uma piscada que me fez lembrar da Júlia e começo a chupar.


Então, ficaram curiosos ou curiosas? Eu espero que sim, semana que vem tem mais!
Fiquem atentas no blog, tem publicações todos os dias e as terça-feira a continuação do conto!

Beijos da Mila!

Beijinho da Jujuba!

Conto Erótico: Me descobri Bissexual. (Cont.)(Part. 2)

Hoje é continuação do Conto Erótico: Me descobri Bissexual, (pra quem ainda não leu, só clicar no titulo que abre um link que vai direto para a pagina ou se preferir é só ir na pagina inicial que ele vai ficar fixado no blog!)
Essa segunda parte, Jujuba e eu escrevemos juntas, pra quem não sabia disso, sempre escrevemos muitas histórias juntas, principalmente o livro e agora o Conto.
Eu espero de coração que gostem da continuação de hoje!

Isso é um conto fictício, lésbico e erótico! Então não é aconselhável para menores de 16 anos.

Conto Erótico: Me Descobri Bissexual.
(Cont.)

O meu coração disparou, ela tirou a mão da minha calcinha rapidamente, ela olhou pra mim com uma cara de safada, ela mordeu os seus lábios, parecia que estava gostando daquilo. Eu reconheci a voz, era o Lorenzo. O que eu iria dizer, o que eu vou fazer agora? Estou em um beco sem saída.
_” O que eu vou dizer pra ele?”
_”Ué, só falar pra ele que eu beijo muito melhor.”
_”Júlia, fica quieta, preciso pensar.”
_”Bruna, eu vou entrar!” – Ai meu Deus! Meu coração parece que vai sair pela boca, eu não sei explicar se é porque eu estava excitada ou se era porque o Lorenzo estava perto de abri a porta.
_”Ah, você está com a Júlia, estão fazendo o que?”
_”Então… Eu… Eu… estava ajudando a Júlia em uma matéria…”
_”Sim, eu não tinha entendido a aula hoje.”
_”Mas era revisão, você disse pra professora que tinha entendido, até ficou dando sugestões de frases em inglês.”
_”Aí Lorenzo, desde quando você fala pra sala inteira que não entendeu alguma coisa? Eu usei o Google tradutor.”
_”Verdade, esperta você. Bruna, você não vai comigo no shopping?”
_”Putz, a gente ia no shopping hoje! Júlia, até amanhã, vamos Lorenzo.”
Eu fiquei tão nervosa que eu nem cheguei perto da Júlia, fiquei com medo dela me beijar na frente dele.
Fomos andando, ficamos em um silêncio, eu não dizia nada e muito menos o Lorenzo.
Descemos as escadas para a recepção do curso de inglês e foi quando eu me vi no espelho.
Eu fiquei me olhando no espelho, apavorada, imaginando o que o Lorenzo, poderia estar pensando. Eu estava toda descabelada, minha boca estava avermelhada de tanto beijar e um pouco inchada com às mordidas da Júlia.
Enquanto eu me olhava no espelho e ficava parada que nem uma estátua, a Júlia passou pela gente.
Quando eu percebi o Lorenzo tinha me empurrado na parede e me beijou e disse:
_”Nossa, gostinho de Júlia.”
Eu fiquei muito nervosa, eu não tinha reação, eu tinha acabado de ficar com a Júlia, ela ainda viu ele me beijando, estou frita.
Acabei nem indo no shopping, isso foi um alívio, por sorte o Lorenzo teve que ir pra empresa do pai dele, tinha que ajudá-lo em alguma coisa.
Eu fui pra casa pensando em tudo que aconteceu, eu estava no ônibus, relembrando o beijo da Júlia, que lábios, que pegada, eu não consigo parar de pensar nisso.
Eu quase passei do meu ponto, levantei da cadeira com tudo, todo mundo ficou me olhando, parecia que eu estava devendo algo, pior que é verdade, estou devendo.
Quando eu cheguei no portão dá minha casa, eu respirei fundo e entrei em casa, eu achei que meus pais estavam em casa, mas não tinha ninguém. Eu fui pro meu quarto, coloquei meu celular pra carregar e fui tomar um banho.
Enquanto a água quente escorria pelo o meu corpo, eu ficava imaginando o que aconteceu hoje, aquele olhar da Júlia, nos conhecemos em tão pouco tempo, eu nunca tinha ficado com uma menina e nunca pensei que ela fosse fazer isso comigo na sala de aula, alguém poderia ter visto, se bem que o Lorenzo quase viu, na verdade ele percebeu.
Eu estava tentando arrumar desculpas, pra não pensar no beijo da Júlia, no seu olhar, nas mordidas que ela deu em seus lábios, na sua mão puxando meu cabelo e descendo pelo meu corpo e me segurando em cima da mesa, sua mão descendo até a minha calcinha e depois o Lorenzo bate na porta, como eu queria ter ido até o final, mas também não queria que ou Lorenzo soubesse disso, o que ele deve estar pensando de mim?
Eu desliguei o chuveiro, peguei a minha toalha e fui me secando até chegar no meu quarto, abri meu guarda roupa, peguei um vestido cinza e uma calcinha preta e fui mexer no meu celular.
Já não bastava ficar pensando na Júlia, tinha mensagem dela.
Eu não vou olhar, só de pensar nas mensagens dela eu já me arrepio toda.
Eu estava com uma vontade dela, aquela vontade do Lorenzo, só não era maior que a vontade da Júlia, que adrenalina, que desejo, eu comecei a passar as mãos em meus seios, pensando nela fui devagar em direção a minha barriga, como ela era linda, como ela me despertava um desejo!
Meu celular vibrou de novo, era mensagens da Júlia, de novo.

Mensagem:
Júlia: Manda ele vir experimentar! √√
Bruna: O que? √√
Júlia: Eu escutei o Lorenzo! Vamos? √√
Bruna: Eu acho que eu ainda não entendi. √√
Júlia: Para de fingir de lerda, vamos nós três se pegar juntos! √√
Júlia: VAMOS JUNTAR NÓS TRÊS E SE PEGAR! ENTENDEU AGORA? √√

Eu nem tive coragem de responder a mensagem dela. Eu não estava acreditando no que eu tinha acabado de ler, ela queria que nós três se pegasse! Ela só pode está louca, nunca que o Lorenzo ia concordar com isso, pelo menos eu acho que ele não vai gostar muito dessa ideia, já deve estar bravo comigo, por eu ter ficado com a Júlia dentro da sala de aula, imagina nós três se pegando.
Se bem, que eu confesso que seria muito bom ver os dois me pegando ao mesmo tempo, mas eu não sei dizer qual seria a minha reação em ver o Lorenzo e Júlia se pegando, eu com certeza, teria ciumes dos dois, porque eu gosto dos dois em proporções iguais, não sei explicar.

Um pouco de imaginação pode ajudar, fecho meus olhos e começo a imaginar, só de pensar nos beijos da Júlia, as mãos fortes do Lorenzo descendo pelo o meu corpo, eu já me arrepio inteira, sinto um calor forte. Eu sou definitivamente apaixonada pelas mãos do Lorenzo, mas não consigo esquecer as mãos delicadas da Júlia, se enfiando dentro da minha calcinha, isso me levou a loucura, só de imaginar os dois juntos, eu vou a delírios.
Não teve jeito, eu sentia meu corpo em chamas, um arrepio imenso, meu corpo inteiro estava a loucura, desejando os dois, eu precisava terminar o trabalho sozinha.
Minha imaginação foi muito mais longe, fiquei imaginando os dois juntos, fui passando a mão pelo o meu corpo bem devagar, apertava os meus seios, desci um de minhas mãos bem devagarinho, até a minha calcinha, eu estava cheia de desejo, levantei a minha mão, passei em meus lábios e mordida em um dos meus dedos. Meu corpo ardia em chamas, eu queria a Júlia, eu queria o Lorenzo, eu não conseguia parar de me tocar sem pensa nos dois.
Então, eu abri as minhas pernas, passei a mão bem devagar e comecei a me tocar. Eu me toquei com tanta vontade, com desejo, com ardência, minha vontade era tão grande, que eu gemia muito alto.
Fiquei pensando que fogo foi esse que me deu, ainda bem que os meus pais não estavam em casa, meu corpo ainda estava excitado, meu corpo pedia uma segunda dose, uma finalização melhor. Eu tinha que mandar uma mensagem pro Lorenzo e pra Júlia.
Eu mandei uma mensagem, super direta pro Lorenzo.

Mensagem:
Bruna: Lorenzo, está afim de experimentar o beijo da Júlia? Que tal saborear as duas ao mesmo tempo?

Eu não consigo acreditar no que eu estava fazendo, eu tinha mesmo mandado mensagem pro Lorenzo e agora pra Júlia?

Mensagem:
Bruna: Quer brincar com fogo Júlia? Então pode vir, vou te mandar o endereço. √√
Júlia: Você que vai ver, o que é brincar com fogo, fica bem cheirosa que estou chegando. √√

Eu corri pra tomar outro banho, foi um banho super rápido, passei um creme, coloquei uma lingerie, eu estava me sentindo a mais gostosa, não que eu me achasse, mas eu definitivamente era uma bela de uma morena, toda vez que eu passava pela rua todo mundo olhava pra mim.
Coloquei uma lingerie vermelha com detalhes de renda bem no meu bumbum, com um laço na perna, coloquei meu roupão, um batom vermelho, soltei meu cabelo que chegava no bumbum, eu estava muito sexy. Eu estava pronta.
A campainha tocou, meu coração disparou, com certeza era a Júlia, olha no meu celular e a mensagem para o Lorenzo nem chegou, ele deve estar com a internet desligada ou sem bateria no celular. Vamos ter que começar a brincadeira sem ele.
Eu olho pelo olho mágico, era a Júlia, eu jogo meu roupão no chão, abro a porta, ela me olha pasma, morde a lateral da boca, me olha com aquele olhar de safada, me empurra para dentro e fecha a porta.
Eu sigo em direção ao meu quarto, ela vem atrás, paro na entrada do meu quarto, ela me puxa, dá um tapa em minha bunda, beija meu pescoço, eu me viro, ela puxa meu cabelo e me beija com muito desejo, eu a empurro e mando ela sentar na minha cama.
_”Agora eu mando e você obedece!”
_”Hoje você está mandona?”
_”Eu mando e você obedece, entendeu Júlia?! Vamos começar pela blusa, tira pra mim agora.”
Ela tirou a blusa, como os peitos dela era lindos. Eu me aproximo dela, fico olhando pra ela, consegui deixar ela sem graça, pela primeira vez na minha vida.
Eu passo a mão em seus seios, eu agacho em seus pés, começo a beijar os seus peitos, chupo e olho pra ela, enquanto ela revira os olhos e dá uma gemida, eu mando ela abrir o sutiã. Ela ficou me observando, como se estivesse gostando de ser mandada.
Eu mandei ela se deitar na cama, fui pra cima dela, comecei beija-lá bem devagar, eu dava umas leves mordidas, mas o jogo acabou virando, ela me joga pro lado da cama e fica em cima de mim, segura os meus braços sem eu poder me mexer.
Ela olha pra mim e fala:
_”Agora eu vou te ensinar como é que se faz garota!”
Só as palavras dela me deixou sem ar.
Ela começou beijando meu pescoço, ela tirou o meu sutiã, foi beijando a minha barriga, me causando arrepios em meu corpo até eu sentir um arrepio forte na minha calcinha, ela puxa minha calcinha, abre bem as minhas pernas e volta pra minha barriga e começar dar vários beijos até chegar nas minhas pernas de novo.
Ela para e me olha, da um sorriso, pisca pra mim e morde os lábios.


Eu acredito que a imaginação de vocês foi longe em! Imagina eu que escrevi? Eu chorei, mas não disse por onde! Imagina a Jujuba, mentira gente, não imagina ela não, a Bi aqui sou eu.

Esperamos de coração que vocês molhem as calcinhas!

Beijos da Mila!

Beijos da Jujuba!

Até o próximo conto erótico!